O inverno foi atípico. Como será a primavera?

0
70

Este ano, a primavera começou oficialmente no dia 19 de março aqui no Hemisfério Norte. A expectativa é que o calor também chegue mais cedo, este ano, ao Canadá. Pelo menos essa foi a previsão da marmota, o pequeno mamífero que, segundo o folclore popular, prevê se o inverno será curto ou longo a cada temporada. Mas, incertezas à parte, o que sabemos é que este inverno contou com temperaturas mais amenas, uma quantidade de neve abaixo da média e muita chuva em várias partes do país.

Os meses de dezembro e janeiro tiveram cara de final de outono ou início de primavera, na maior parte do Canadá. As temperaturas chegaram a ficar 10 a 20 graus acima do normal para esta época do ano. Em Toronto (ON), foram registrados recordes históricos de temperatura na última semana de 2019, quando os termômetros marcaram 10,2 °C no dia 30 de dezembro, marca não registrada há 54 anos na cidade. A quantidade de neve também ficou bem abaixo do esperado, quando houve apenas 10 centímetros de acúmulo em dezembro, muito abaixo da média de 30 centímetros para o mês na cidade. De acordo com o Environment Canada, as altas temperaturas do mês de dezembro e a falta de neve foram motivadas pela presença de uma corrente de ar ao norte de Ontário, que manteve o ar ártico distante.

Para Aliadne Barreto, moradora de Toronto há 12 anos, este inverno foi totalmente atípico. “Eu não lembro de ter pegado um inverno tão tranquilo assim no Canadá em todos esses anos. Tivemos pouca neve e temperaturas muito amenas para a época”, diz ela, que conta sempre sofrer antecipadamente com a proximidade da estação. “Em novembro de 2019 tivemos dias com -20 °C e fiquei muito assustada mas, graças a Deus, o inverno não foi rigoroso e hoje digo que, se todos os invernos fossem iguais a esse, eu nunca mais reclamaria”, sorri Aliadne.

O inverno também foi mais quente do que o normal na província de Saskatchewan, localizada no centro-oeste do Canadá e conhecida por registrar temperaturas extremamente congelantes nessa época do ano. Saskatoon, a maior cidade da província, costuma ter alertas de frio extremo todos os anos no mês de fevereiro. Em 2019, o frio permaneceu abaixo de -20 °C durante todo o mês de fevereiro, chegando a -53 °C. “Esse ano foi muito diferente. Chegamos a ter dias com 5 graus positivos, ninguém acreditou nisso”, contou a analista de sistemas Fernanda Caroline, moradora da cidade.

Em Vancouver (BC), o inverno também registrou temperaturas bem mais amenas, o que, por um lado, agradou muito a população mas, por outro, trouxe uma certa frustração, já que sem um inverno rigoroso as chuvas constantes na cidade ao longo das outras estações continuaram no inverno. Segundo a administradora de empresas Priscila Nogueira, de 30 anos, isso causou um certo desânimo na população. “Choveu bastante o inverno todo e ficar tanto tempo sem ver o sol não foi fácil. Em janeiro, por exemplo, dos 31 dias do mês choveu em 25”, contou ela.

Segundo dados do Environment Canada, este foi o quinto mês de janeiro mais chuvoso da história de Vancouver, com 256,6 milímetros de precipitação. A precipitação média na cidade nesse mês é de 168,4 milímetros. Janeiro também fechou com outros recordes históricos para Vancouver: o dia 31 de janeiro foi o mais chuvoso já registrado na cidade. Segundo dados climáticos, 34,8 milímetros de chuva caíram em Vancouver nesse dia, quebrando o recorde diário anterior de 27,2 milímetros, estabelecido em 1907.

Com a primavera agora dando o ar de sua graça, resta aguardar e torcer para que o calor chegue mais cedo este ano. Dias curtos e cinzentos estão, definitivamente, ficando para trás.