Anuncie aqui - Advertise here
Home Blog

Você prefere ler em português, inglês ou francês?

0
Clique para ler essa matéria em francês

Você pode escolher. Agora, a Wave é trilingue!

Em tempo…

O Canadá está procurando mais imigrantes francófonos para se instalarem em províncias que não o Quebec.

Você fala françês? O Canadá precisa de você

Sim, é oficial. Apesar de o número de imigrantes de língua francesa fora de Quebec ter crescido de 850 (em 2003) para 2.400 (em 2017), o Canadá quer mais.

O governo federal pretende que 4,4% dos imigrantes francofones sejam estabelecidos em províncias que não sejam Quebec até 2023. Por província e território, as metas são: 5% em Ontário, 33% em New Brunswick, e um aumento de 5% nos Territórios do Noroeste, 7% em Manitoba e 5% em Terra Nova e Labrador.

“Os imigrantes de língua francesa contribuem para a força e a prosperidade de nosso país, além de aumentar a rica diversidade cultural e linguística do Canadá. A imigração francófona desempenha um papel na manutenção da vitalidade das comunidades francófona e acádica em todo o Canadá, mas também ajuda a atender às necessidades do mercado de trabalho e a apoiar o Canadá como país bilíngue. No entanto, enquanto o declínio na proporção da população canadense (fora de Quebec) que usa o francês como sua primeira língua oficial continua, apesar de nossos esforços e realizações atuais, ainda há trabalho a ser feito. Portanto, devemos redobrar nossos esforços para atrair, selecionar, integrar e reter imigrantes de língua francesa. Isso requer uma resposta duradoura, multissetorial e entre jurisdições, com base nas ações tomadas até o momento e que identifica novas maneiras de colaborar para desenvolver e implementar novas soluções. ” (site do Governo do Canadá)

Um esforço conjunto

Os governos federal, provincial e territorial estabeleceram e publicaram em 2018 um novo plano de ação que visa melhorar a promoção, seleção, assentamento, integração e retenção de imigrantes de língua francesa nas comunidades francófonas em situação minoria, usando ferramentas e abordagens apropriadas para cada comunidade. Isso reconhece a diversidade de tais comunidades no Canadá – desde grandes centros urbanos até pequenas comunidades rurais.

Leia mais sobre o assunto no site oficial do Governo do Canada: « Plan d’action fédéral / provincial / territorial (FPT) pour augmenter l’immigration francophone hors Québec »

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 1li_Fr_Wordmark_C-1024x105.png

Hamilton, Ontario, atrai cada vez mais estudantes brasileiros de intercâmbio

0

Por Fátima Mesquita

O número de alunos brasileiros que fazem cursos fora do país tem só aumentado. Segundo os dados mais recentes consolidados pela Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio (Belta), mais de 300 mil pessoas fizeram as malas e colocaram o pé no avião para ganhar novas competências e experiências pelo mundo afora em 2017. E há mais de uma década o destino preferido desta turma tem sido um só: o Canadá.

O país abocanha 23% deste mercado, ou seja, recebeu impressionantes 70 mil estudantes brasileiros em 2017. E a pesquisa da Belta explica que essa preferência é o resultado de uma coleção de fatores em que pesa, claro, o câmbio favorável, mas a escolha também passa pelo multiculturalismo e a receptividade ao estrangeiro, a segurança pública, a qualidade dos cursos e, sobretudo, a qualidade de vida.

O Canadá aparece mesmo nas primeiras colocações em diversas pesquisas que comparam cidades ou países do mundo todo. No ranking da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), por exemplo, o país é o quinto melhor lugar para se viver – enquanto o Brasil vem em 34º lugar.

Estudar no Canadá. Além do aprendizado do inglês

Dentre as preferências brasileiras em termos de estudo, a prioridade continua sendo o aprendizado do inglês, com uma queda na procura por intercâmbio de ensino médio e um crescimento significativo na demanda por certificações profissionais tipo college, cursos de graduação e programas de mestrado e doutorado.

Isto faz sentido dos dois lados. Numa ponta, as pessoas querem se diferenciar no mercado de trabalho brasileiro. Na outra, o Canadá conta com nove universidades entre as top 200 do mundo, segundo o prestigiado ranking da Times Higher Education em sua versão de 2019.

Para coroar, dependendo do curso, o Canadá permite que o estudante estrangeiro trabalhe até 20 horas por semana. E, após a conclusão, há ainda a possibilidade de se obter uma permissão especial para permanecer no país que, aliás, tem a maior taxa de imigração per capita do mundo. Mas que cidade escolher?

Apesar de ser um país bilíngue, a procura dos brasileiros por cursos de idioma no Canadá é dominada pelo inglês, que garante 80% do mercado, com destaque para as cidades de Toronto e Vancouver. Já para os 20% interessados no francês, os destinos preferidos são Montreal — disparado na frente — e depois Quebec City. Porém, aos poucos os brasileiros tem descoberto uma opção interessante: a cidade de Hamilton.

UM SEGREDO REVELADO: A CIDADE DE HAMILTON

A apenas 68 km de Toronto, Hamilton é um município de médio porte, com pouco menos de 550 mil habitantes. Por abrigar a McMaster – a 4ª melhor universidade do país e a 77ª melhor do mundo – e ainda o respeitado Mohawk College, a cidade tem um clima internacional, inteligente e agitado com um calendário cheio de festivais, eventos culturais e esportivos (os jogos de futebol do Pan rolaram por lá!).

Além disso, Hamilton, que tem um passado industrial muito forte, é muito verde. A cidade divide com sua vizinha, Burlington, um enorme e belo jardim botânico, o Royal Botanical Gardens. E oferece oportunidades incríveis de se ver cervos ao ar livre num cantinho chamado Paradise Cootes, bem próximo do campus central da universidade, em especial durante o inverno.

Situada entre o lago Ontário e o Niagara Escarpment, Hamilton oferece mais de 100 cachoeiras abertas para visitação e belas trilhas para caminhadas com diferentes níveis de dificuldades. Está ainda a poucos quilômetros de distância de Niagara Falls e toda área produtora de vinho.

Outros destaques importantes são a sua incrível rede de hospitais e médicos, alimentada em especial pela escola de medicina da McMaster, e a diversidade da sua população. Afinal de contas, não é em qualquer lugar do Canadá que se pode matar a saudade de casa saindo para comprar quibe, coxinha, azeite de dendê, farofa, chuchu, quiabo e pão de queijo congelado… 

E o melhor: tudo isto com um custo de vida bem mais em conta que o das grandes cidades do país.

Meu Canadá #7 – Nayran Mendes

3

Brazilian Wave quer conhecer o seu Canadá através de suas experiências e opiniões. Conheça o Canadá da influenciadora digital maranhense Nayran Mendes. Ela mora há quase dois anos na cidade de Moncton, em New Brunswick. Além de seu canal no YouTube (youtube.com/nayranmendes), Nayran trabalha em marketing e tem uma filhinha de quatro patas, a Milly.


  • De onde você é?  São Luís, Maranhão
  • Qual cidade você mora no Canadá?  Moncton, New Brunswick
  • Há quanto tempo no Canadá?  Um ano e oito meses
  • O que você faz no Canadá?  Eu trabalho com Marketing para uma empresa aqui em Moncton e também sou influenciadora digital. Adoro gravar vídeos pro meu canal do Youtube e ajudar quem está planejando vir pra cá.

Por que o Canadá?

Eu e meu esposo estávamos buscando um lugar onde pudéssemos ter mais segurança, melhor qualidade de vida e que fosse um lugar tranquilo para construir uma família. Após analisarmos algumas alternativas vimos que o Canadá se encaixava perfeitamente no que estávamos buscando, foi então que começamos o nosso planejamento e em seguida o processo de imigração.

Algo que você gosta sobre o Canadá

Eu adoro a honestidade das pessoas e a tranquilidade de poder andar nas ruas a qualquer hora sem sequer cogitar a possibilidade de alguém me assaltar.

Algo que você não gosta sobre o Canadá

Eu não curto muito o longo inverno. Se parar para analisar são praticamente 6 meses de frio e neve, se fossem apenas 2 meses seria maravilhoso. Já o verão que poderia demorar um pouco mais passa voando!

Um lugar que você gostaria de visitar no Canadá

Queria muito conhecer Ottawa, especificamente ali pelo parlamento, acho lindo! E também Niagara Falls com toda sua beleza que já é exuberante pelas fotos imagina de pertinho. 

Um lugar favorito no Canadá

Já visitei lugares como Quebec City que é charmosíssima, mas ainda assim eu fico com Shediac, uma cidadezinha apenas 30 minutos de Moncton, rodeada pelo mar. Se aposentar, comprar um barco e uma casa de frente para o mar é algo super possível aqui também, tá?! 

Qual conselho ou sugestão vc daria pra quem gostaria de vir pra cá?

Meu conselho é: Planeje-se, esteja preparado pra tudo e tenha MUITA paciência.

Planejamento é tudo na vida, se você se planejar bem você não passará aperto, em todos os sentidos. Além disso, venha com a mente aberta! Todo mundo fala isso, né? Pode até parecer simples, mas quando você chegar aqui vai entender melhor. Você realmente tem que estar preparado para tudo!

Talvez você tenha que trabalhar com algo que nunca imaginou que ia trabalhar na sua vida e mesmo que você seja graduado e doutorado, precisa estar preparado para quem sabe não ter o emprego dos seus sonhos em 6 meses.

Esteja preparado para no começo ter um cartão de crédito com um limite que até quando você tinha 16 anos era mais alto. Preparado também pra comprar um carro com juros mais alto porque você não tem crédito nenhum em seu novo país… enfim, esteja preparado, pois quando você está preparado se frustra menos e entende que é assim mesmo. Quer um exemplo simples? Imagine que você é um adolescente que acabou de sair do ensino médio e está começando a sua vida adulta, porque é bem isso.

E, por fim, tenha paciência, pois aqui você vai precisar de toda paciência que você nunca teve na sua vida. TUDO é demorado, desde o processo de imigração até um simples e-mail as pessoas/empresas demoram pra responder. O canadense não tem pressa pra absolutamente nada, nem mesmo pra atravessar a rua (hehe). Então, mantenha a calma, respire que pode até demorar, mas no final dá tudo certo! O emprego vai melhorando, o crédito vai subindo, seu limite do cartão vai aumentando, o inglês vai ficando melhor, a vida vai se ajeitando e você vai curtindo ainda mais viver nesse país maravilhoso. Vai por mim!

Uma foto no Canadá que você gosta

Adoro essa foto que tirei da Milly, nossa filha de 4 patas, no jardim do Parlamento de Quebec no verão do ano passado (2019).

Foto: Arquivo pessoal

Confira a Nayran no seu Instagram (instagram.com/nayranmendes) e o seu canal youtube.com/nayranmendes.


Participe do Meu Canadá! Mande email para [email protected]

Governo aumenta o apoio federal aos idosos durante a pandemia

0

Por Deb Schulte, Ministro dos Seniores do Canadá

A pandemia do COVID-19 afetou as finanças dos idosos, a saúde mental e as redes sociais de relacionamento, de amigos e parentes. Como eles ficam mais seguros estando em casa, os idosos enfrentam custos crescentes de alimentos e medicamentos e precisam gastar mais de sua renda com taxas de entrega e transporte. Muitos estão sentindo os efeitos do isolamento. É por isso que o governo do Canadá está tomando medidas significativas para apoiar os idosos em todo o país.

O governo do Canadá fornecerá um pagamento único e isento de impostos de CAD$ 300 para os idosos elegíveis pelo “Old Age Security”. Os idosos qualificados para o Suplemento de Renda Garantida recebem CAD$ 200 adicionais, totalizando CAD$ 500. Isso significa que casais de idosos de baixa renda receberão CAD$ 1000 a mais em auxílio social.

Esse investimento de CAD$ 2,5 bilhões fornece apoio financeiro direto a 6,7 ​​milhões de idosos em todo o país para ajudá-los a lidar com os custos crescentes do COVID-19.

Essas medidas são ações adicionais às tomadas no início da pandemia. Em março, o governo federal comprometeu mais de CAD$ 1,3 bilhão com idosos de baixa e média renda com um pagamento único de crédito GST isento de impostos, no valor médio de CAD$ 375 para solteiros e CAD$ 510 para casais. Além disso, houve o investimento de meio bilhão de dólares através do United Way, instituições de caridade locais e bancos de alimentos, para que idosos e outros canadenses vulneráveis ​​possam obter apoio, como entrega de mantimentos e medicamentos.

Para reduzir o isolamento, houve o investimento de CAD$ 20 milhões adicionais no Programa New Horizons for Seniors. Isso ajudará organizações locais que trabalham com idosos a fornecer programação e serviços aos idosos que lidam com a pandemia. Isso também inclui grupos dedicados a oferecer serviços culturalmente adequados aos idosos.

Segundo o governo, “essas medidas ajudarão a aliviar as dificuldades enfrentadas pelos idosos, mas reconhecemos que sempre há mais a ser feito.

Os idosos construíram este grande país, foram eles que nos criaram e cuidaram de nós, e agora faremos tudo o que pudermos para cuidar deles.

Governo canadense aconselha os canadenses a retornarem ao país o mais rápido possível

0

O Governo do Canadá está aconselhando os canadenses no exterior que desejam retornar ao Canadá a fazê-lo o mais rápido possível, e enquanto os vôos comerciais ainda estão disponíveis. Atualmente, não há planos para vôos de resgate ou repatriamento para o Canadá.

A Air Canada anunciou que a retomada do voo diário de São Paulo para Toronto está prevista para 2 de agosto (atualizado em 22/5). Outras companhias aéreas podem retomar vôos internacionais de entrada / saída do Brasil em maio, com a possibilidade de conexões com o Canadá. No entanto, essas datas estão sujeitas a alterações. Recomendamos que os canadenses falem diretamente com sua agência de viagens ou companhia aérea para encontrar a melhor opção possível para retornar ao Canadá.

Estas são as opções de voo comercial permanecem disponíveis:
• De São Paulo: voos da United para Houston e da LATAM para Miami
• De Campinas: voos da AZUL para Fort Lauderdale e Orlando

Os passageiros que retornam ao Canadá precisam garantir que reservem conexões posteriores ao Canadá antes de partirem do Brasil. Como não há voos diretos, será necessário um trânsito pelos EUA (ou Europa). Embora apenas sejam permitidas viagens essenciais através da fronteira Canadá-EUA, os canadenses podem transitar pelos EUA para retornar ao Canadá, desde que seu itinerário completo seja reservado antes de partir do Brasil.

Até 30 de junho, os estrangeiros devem demonstrar que o objetivo de sua viagem ao Canadá é essencial. Viagens para fins opcionais ou discricionários não são permitidas. Consulte https://www.canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/corporate/publications-manuals/operational-bulletins-manuals/service-delivery/coronavirus/travel-restrictions.html#travel-restrictions para obter mais informações sobre restrições de viagem. Essas restrições podem ser estendidas após esse período.

A triagem de saúde será feita para todas as partidas internacionais. Os passageiros aéreos precisam ter uma máscara não médica ou uma cobertura facial para cobrir a boca e o nariz para uso durante a viagem. Essas proteções não serão fornecidas nos aeroportos ou pelas companhias aéreas e os viajantes poderão ser impedidos de embarcar se não tiverem a máscara necessária.

Os viajantes que chegam ao Canadá devem se auto-isolar por um período de 14 dias e devem ter um local confirmado no Canadá para esse auto-isolamento.

Fonte: Canadá no Brasil

Estudantes estrangeiros no Canadá

0

O governo canadense preparou documento com informações relevantes para estudantes internacionais no Canadá, no âmbito da pandemia do COVID-19.

Acesse o documento aqui (PDF) – https://bit.ly/3afZPJe

Os recursos listados no documento fornecem informações sobre questões relacionadas a licenças de estudo, bem como restrições e isenções de viagens
que podem afetar estudantes internacionais e programas do Governo do Canadá para os quais estudantes internacionais podem ser elegíveis.

De acordo com o site do governo, “o Canadá valoriza profundamente os estudantes internacionais que escolheram estudar no Canadá e os contribuição que eles fazem para nossas instituições educacionais, nossas comunidades e nosso país. Apesar das circunstâncias atuais forem desafiadoras, esperamos que você se sinta apoiado pelo seu representante canadense, instituições de acolhimento e comunidades em que você, se você é um estudante do primeiro ano, futuro estudante de graduação, intercambista ou pesquisador visitante.”

Gabrielle Casara Pellin. A dona do pedaço em Montreal

0
Gabrielle Casara Pellin, dona da conveiteria Padoca Brasileira, em Montreal.

Gaúcha de Caxias do Sul, Gabrielle Casara Pellin fez seu processo de imigração pela província de Quebec e mudou-se para Montreal em janeiro de 2013. Ela se apaixonou pela cidade logo que chegou por lá.

Como Gabrielle havia estudado gastronomia e já tinha experiência na área de confeitaria em hotéis e restaurantes no Brasil, juntar sua paixão com uma oportunidade em um novo país foi algo inevitável. O resultado foi abrir uma confeitaria no coração da maior cidade de Quebec, a Padoca Patisserie, onde produz e vende bolos, croquetes, pastéis, sanduíches, enfim, o sabor brasileiro. Agora ela tem duas lojas por lá!

A Wave conversou com a empreendedora sobre suas confeitarias, seu desafios e a comunidade brasileira em Montreal.

Wave: Porque você decidiu abrir uma confeitaria em Montreal?
Gabrielle: É a minha área de formação, e o que eu adoro fazer. Vi que faltava uma confeitaria, um café com lanches no estilo brasileiro e vi uma oportunidade. 

Wave: Como foi abrir a Padoca (agora duas) em Montreal? Qual ou quais foram os maiores desafios em relação à burocracia de Québec?
Gabrielle: Abrir uma empresa, um comércio é difícil em qualquer lugar. Você precisa de muita energia, capital e conhecimento, principalmente no começo. No início não tinha muito conhecimento sobre a burocracia no Quebec, mas com o tempo fui aprendendo. Hoje consigo lidar com mais tranquilidade. 

Wave: Existem diferenças entre o Brasil e Canadá como ingredientes e até mesmo em relação ao tipo de fogão. Como foi adaptar a fabricação e até receitas e produtos brasileiros pro Canadá?
Gabrielle: Não tive nenhum problema com os ingredientes e a maneira de produção. Tudo pode ser encontrado ou adaptado. A única mudança que eu lembro de ter feito foi na quantidade de açúcar de algumas receitas, que preferíamos diminuir para poder agradar um pouco mais a clientela local. 

Wave: Qual foi a receptividade do canadense (ou não brasileiros) em relação aos seus produtos?
Gabrielle: Na maioria das vezes tudo é aprovado. Eles gostam bastante.  Acontece de algumas pessoas são gostarem, mas é normal em qualquer comércio. Acredito que a aceitação tem sido excelente.  

Wave: Porque vocês escolheram Longueuil para a filial? Você tem planos de abrir outras?
Gabrielle: Acho que fomos escolhidos por Longueuil. Estávamos procurando um local para uma nova cozinha de produção. Não queríamos uma outra loja, somente a cozinha para produção. Procuramos em vários lugares, diferentes cidades próximas de Montreal. Fomos até a uma pequena cidade em torno de 40km de Montreal, e nada. Quando encontramos esse lugar em Longueuil, sabíamos que era um lugar bom e acessível, e ainda poderíamos abrir mais um ponto de venda. Não poderia ter sido melhor. 

Wave: Qual seria o seu conselho ou dica para quem gostaria de abrir um negócio em Montreal?
Gabrielle: Pesquise muito sobre a legislação referente ao seu nicho, pesquise muito sobre a burocracia da cidade e da província, tenha um bom capital de giro, um bom contador e um advogado. Tenha cuidado se o seu negócio precisa de muita mão de obra, essa é umas maiores dificuldades que eu senti, desde o início da Padoca.  

Wave: Qual ou quais doces ou salgados você mais gosta?
Gabrielle: Amo pastel, brigadeiro e bolo de chocolate. 

Wave: Como você vê a comunidade brasileira em Montreal? 
Gabrielle: Acho a comunidade brasileira de Montreal incrível. Graças a essa comunidade crescemos muito. A comunidade apoia muito os comércios e serviços feitos por brasileiros, e sempre tem uma rede de ajuda mútua. Se você precisar de algo durante sua experiência em Montreal, pode contar com a comunidade brasileira.  
Wave: Existe algo que gostaria de acrescentar?
Gabrielle: Gostaria de dizer que fico muito feliz e agradecida com o reconhecimento da Padoca. Espero estar contribuindo para a nossa comunidade aqui no Quebec. 

Quarentena e abstinência V – A higienista

0

Minha abstinente ficou inconsolável ao ver, depois de setenta e duas horas, o seu sorvete, tão duramente negociado, de uma forma criativa, tenho que atestar, se converter em um líquido disforme, onde a colher poderia afundar tranquilamente, afogadamente, sem, no entanto, em seu retorno trazer uma substância aromática e sedosa. Era um melaço de açúcar e mais nada.

O seu olhar se tornou mais brando, devo dizer, até, um pouco adocicado. Mas, perguntei aos meus botões: E a ameaça de que isso não ficaria assim?

Ela se levantou, resoluta, e foi para a janela protestar batendo as suas panelas, tão fortemente, que o fundo da frigideira saiu do plano para o convexo. A partir daí, todos os ovos estrelados, em vez de pairar no meio, como uma terra plana e o sol no meio, o líquido oval (permitam-me o trocadilho) correu para os cantos, tornando aquele universo terraplanista em uma galáxia muito, muito distante do comestível. Passou a ser um ovo estrelado com um buraco no meio.

O seu nível de protesto era tanto que qualquer batida, mesmo a de um martelo no vizinho, um pancadão passando na rua, os passos alterados de alguém pela escada, já era motivo para seguir até a janela e bater junto.

Vendo desolada a embalagem plástica do sorvete já vazia, e desfeita do seu interior desejado, ela decidiu, então, que esterilizaria toda a casa. Assustado, verificando que a primeira faxina passaria por mim, já me considerava, devidamente, esterilizado com o álcool gel.

Até aí, tudo bem, aceitei, resignado, mas passar álcool gel no pão e na boca antes de comer já estava indo longe demais.

Restou-me fazer o que devemos fazer nesta quarentena, quando o tempo já não diz para nós onde começará o futuro ou se ele voltará.

Acolhi minha abstinente nos braços e ficamos assim no sofá pensando quando poderíamos, enfim, sair. Não seríamos mais as mesmas pessoas, até porque já não éramos. O carinho entre nós aumentou, e ela voltou aos seus um metro e cinquenta de altura, mas sempre grande para mim.

Nos abraçamos e juntos teremos que nos abraçar. Ninguém voltará o mesmo, e mesmo aqueles que relutam em mudar não voltaram os mesmos. A quarentena nos separou, e penso que muitos continuarão separados. Não se nega a existência, não se nega que existimos ainda que despedaçados. A grande mudança que virá será a pergunta: como seremos, mudados? Mais alquimistas, mais revoltados ou mais higienistas?

Move on .com

2
Crônica: Move on.com

            Em tempos tão complicados, relacionamentos afetivos podem ajudar, quando são positivos. Caso contrário é melhor seguir em frente…

            Há pouco tempo, coloquei um ponto final em mais uma tentativa. Mas, desta vez, meu coração não se decidiu por outro pretinho básico. O processo foi quase o mesmo: algumas noites sem sono, horas com os amigos ao telefone e distância da garrafa de vinho. Decisão sábia, para não se encarar um breve relacionamento como se fosse a sequência do filme Love Story.

            Mas como mulher não vive sem drama, tratei de espalhar o meu aos quatro ventos. E, como sempre, fiquei impressionada com a paciência dos amigos. Ainda não cheguei à conclusão se eles realmente se comovem ou escutam já sabendo que aquilo logo vai passar.  

            Apaixonar-se só parece fácil na nossa língua, mas não é. Em Inglês e Francês, por exemplo, caímos, sempre. A queda pode ser maior ou menor, mas estará lá, sempre.

            Caímos de amor, andamos sem os pés na terra, queremos que o tempo pare. Mas se o outro não caiu tanto quanto você…  Começam os problemas. E é exatamente aí, que devemos acionar o mecanismo de autopreservação e nos proteger, seja lá como for.

            Dicas não faltam. Aprender uma nova receita, descobrir uma série interessante ou ler aquele livro esquecido na estante. No meu caso aproveitei também para pintar as unhas de vermelho. Não sei se pela sede de sangue, ou pela novidade em si. E não nos esqueçamos da maravilhosa falta de apetite, que nos faz perder o peso adquirido com aquela pessoa em questão.

            Mulher apaixonada é tudo igual. Pergunte a qualquer uma que já sofreu uma paixão, e relaxe na poltrona pois o relato vai ser longo.

            O importante é perceber a maravilhosa benção de se estar apaixonada. Seja lá o preço que se pague, nada se compara a esse estado de graça.

            Dure o tempo que durar, guarde as boas lembranças – pois vai precisar delas para consolar a melhor amiga, quando ela porventura também “cair” – e aproveite para relembrar Chico Buarque (excelente companhia para momentos como esse) cantando todo amor um dia chega ao fim e pra frente é que se anda, em “Amigo é pra essas coisas”.

            O tempo passa, você esquece, e outra paixão surgirá no horizonte, fazendo você dizer: agora sim, agora é pra valer!

            Quem disse que não dá certo? Dá sim, só não dura para sempre!

Motivação é o nome!

5
Crônica: Motivação é o nome! (Foto: dreamstime.com)

Ontem fui à dentista. Tinha que ser! O aparelho recém colocado me parecia frouxo e necessitava de ajustes urgentes. Dia da consulta, aliviada e feliz, tomei um banho bem gostoso. Fiz todos aqueles procedimentos de prender os cabelos e vestir uma roupa meio que elegante, fácil de lavar e secar. Um perfuminho nos pulsos para alegrar o dia e pronto. Tô muito animada pra sair!

Enquanto adianto cá dentro a brisa que sopra lá fora, ponho a minha máscara mais lindinha, toda de flores,  bem primaveril. Visto os meus óculos para conferir o dinheiro e sei que não devo tocar a máscara. Caramba!  Surgiu aquela coceira no nariz e…não deu! E lá se vai a minha máscara amarelinha pro fundo da caixinha. Ficará imersa em uma água de sabão. Bora seguir em frente. Imprevistos acontecem. 

Há que se buscar outra máscara limpa, que combine com a minha blusa  azul e contar o dinheiro da condução.  Há que se lavar as mãos com cuidado, depois de tocar em notas e moedas. Há que se olhar na bolsa, mais uma vez, se lá está o vidrinho do álcool em gel. Rio de mim mesma com certa benevolência e respiro bem  fundo para tentar ganhar concentração.

Saio à varanda para trocar os sapatos e,  atraída por um sol  tão gostoso, piso na grama macia com os sapatos de dentro de casa.  Caramba!  Fui dominada por aquela vontade de me esquentar um pouco e…não deu! Xingo metade da vizinhança porque usei o sapato de dentro de casa… fora de casa.

E lá se vão os meus sapatos de dentro de casa para o fundo de um balde com solução de água sanitária. Não quero nenhum pedacinho de vírus passeando pela sala! Volto ao banheiro para lavar as mãos e em frente ao espelho, me acalmo. Imprevistos acontecem. Mas, o tempo passa rápido e a hora aperta. 

Volto à varanda e calço os meus sapatos de rua. Checo na bolsa se estão as chave e dou “um confere” nos documentos. Passo nova camada de álcool gel nas mãos já ressecadas e me lanço com brilho e energia ao sonho de consumo da atualidade. Bora ganhar a rua!!! E assim, alegre, saltitante e faceira, lancei-me em largos passos na avenida, animada para a minha consulta no dentista e sonhando com a troca de arames, com os apertões nos parafusos e com as torções nos mais variados dentes. Rsrsrs…motivação é o nome!

Trabalhadores estrangeiros temporários e estudantes internacionais com permissão antes de 18/03/20 podem entrar no Canadá

0

Fonte: Canadá no Brasil

Lembrete: As medidas adotas para proteger a saúde e a segurança dos canadenses que restringem as viagens internacionais tanto por via área assim como pelas fronteiras terrestres do Canada mudaram.

Trabalhadores estrangeiros temporários e estudantes internacionais que possuam uma permissão de estudo válida ou que foram aprovados para uma permissão de estudo antes de 18/03/2020 e cidadãos estrangeiros que foram aprovados para a residência permanente antes de 18/03/2020 mas que ainda não tenham viajado para o Canadá, agora estão isentos das medidas de restrição de viagens COVID-19 e podem entrar no país.

Você deve se identificar com as companhias aéreas no momento do embarque, se estiver isento das medidas de restrição de viagem.

Os estudantes devem apresentar:

• a permissão de estudo válida, ou

• uma carta de apresentação do IRCC (ministério imigração do Canadá) com data de até 18 de março de 2020.

Os trabalhadores temporários devem apresentar:

• a permissão de trabalho válida, ou

• uma carta de apresentação do IRCC (ministério imigração do Canadá)

Os que possuam visto de residente permanente devem apresentar:

• o visto de residente permanente, ou

• a Confirmação de Residência Permanente (Confirmation of Permanent Residence – COPR) com data de até 18 de março de 2020.

Nota importante: O requisitos normais para viagens aéreas e entrada no Canadá continuam sendo aplicáveis ​​(ou seja, conforme necessário, você deve possuir um visto canadense válido ou a autorização de viagem eletrônica – eTA).

Se você estiver viajando por avião precisará passar por uma certificação de saúde antes de poder embarcar no seu voo. Qualquer pessoa que apresentar sintomas do COVID-19 não poderá entrar no Canadá por via aérea.

Quando chegar ao Canadá, avaliaremos seu estado de saúde antes que possa deixar o aeroporto.  *Todos os viajantes deverão também permanecer em isolamento obrigatório por 14 dias, mesmo que não apresentem sintomas.*

Mais informações: https://canada.ca/en/immigration-refugees-citizenship/services/coronavirus-special-measures.html

Um abraço apertado, para todas as mães do mundo!

0
Um abraço apertado!

Que eu tenha sempre comigo:
Colo de mãe.
Abraço apertado.
Riso de graça.
Brilho no olho.
Amor quentinho.
Tristeza que passa.
Força nos ombros.
Criança por perto.
Astral bonito.
Prece nos lábios.
Saudade mansinha.
Fé no futuro.
Delicadeza nos gestos.
Conversa que cura.
Cotidiano enfeitado.
Firmeza nos passos.
Sonhos que salvam.

Desconhecido

Onde, afinal, é o melhor lugar do mundo? Meu palpite: dentro de um abraço.

Martha Medeiros

Gosto dessa definição: abraço é o encontro de dois corações.

Cazuza

Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.

Martha Medeiros

Abraço tem que ter pegada, jeito, curva. Aperto suave, que pode virar colo. Alento tenso, que pode virar despedida. Abraço é confissão.
Abraço não pode ser rápido senão é empurrão. Requer cruzamento dos braços e uma demora do rosto no linho. Abraço é para atravessar o nosso corpo.

Fabrício Carpinejar

Hoje eu queria um abraço daqueles que te sufoca de tão apertado e te protege de tudo.

Caio Fernando Abreu

Em teu abraço eu abraço o que existe
a areia, o tempo, a árvore da chuva
E tudo vive para que eu viva:
sem ir tão longe posso vê-lo todo:
veio em tua vida todo o vivente.

Pablo Neruda

Me abrace, que no abraço mais do que em palavras, as pessoas se gostam.

Clarice Lispector

E se todos os problemas do mundo pudessem ser resolvidos com um simples abraço?
Na verdade, todos os problemas do mundo podem ser resolvidos com um simples abraço…

Augusto Branco