Alexandre Franco

96

Comunicação e esporte no sangue e na alma.

O jornalista Alexandre FrancoNascido em Moçambique, quando ainda era uma província portuguesa, Alexandre Franco sempre diz com orgulho que é português, mas não dos Açores, nem da Madeira, nem do Continente. Em Lourenço Marques, hoje Maputo, iniciou a carreira jornalística. Uma trajetória marcada por recomeços em Portugal e aqui no Canadá, onde hoje está frente do jornal Milénio Stadium.

O começo

Já são quase 45 anos de carreira e tudo começou com uma brincadeira. “Foi uma das coisas mais lindas”, conta Alexandre. Depois de gravar a narração de um jogo de futebol para os amigos, foi incentivado a investir na locução e assim o fez, sendo selecionado entre centenas de candidatos para a Rádio Clube de Moçambique.

De lá para cá, passou por diversos jornais e rádios também em Portugal e nas principais empresas de comunicação de língua portuguesa em Montreal e Toronto, entre elas Rádio Clube de Montreal, Rádio Clube Português de Toronto, CIRV-FM, FPtv e OMNI-TV.

Em 1990, criou o Jornal Stadium, que se tornou suplemento esportivo do Milénio, publicação que dirige e a qual se dedica integralmente hoje, “com muito gosto”, enfatiza o jornalista.

Paixão pelo esporte

Nestas quase cinco décadas de profissão, Alexandre destaca coberturas de eventos esportivos importantes. O esporte aliás foi uma opção natural. “Nasci no desporto, comecei no jornalismo desportivo e depois tudo aconteceu naturalmente”, conta Alexandre Franco que, além de jornalista, foi também atleta e treinador de basquetebol.

Peter Ferreira, especialista em imigração, e o jornalista Alexandre Franco
Peter Ferreira, especialista em imigração, e o jornalista Alexandre Franco

Mas como profissional completo, acumula trabalhos em todas as áreas e entrevistas inesquecíveis, como as que fez com o presidente de Portugal Cavaco Silva, Pelé, Eusébio, Amália Rodrigues, o ator Antônio Banderas, o então Primeiro Ministro Brian Mulroney e o grande líder sul-africano Nelson Mandela.

Comunicação local

Com autoridade de quem conhece como poucos a mídia voltada para a comunidade de língua portuguesa, Alexandre Franco lamenta que haja alguma falta de profissionalismo no setor, pois muitas vezes o que predomina é o pensamento de que todos são autossuficientes e o que ele considera errado: “A verdade é que isso acontece desde os primórdios da mídia luso-canadiana”, diz.  Sendo assim, Alexandre torce para que os jornalistas que atuam na comunidade tenham melhor compreensão das suas missões.