CAIS – Centro de Apoio e Integração Social Brasil-Canadá

1
1130

A força do voluntariado feminino no suporte ao imigrante brasileiro.

Grupo de voluntários e diretores do CAIS

Por Marta Almeida

Criado em 1999, como Centro de Informação Comunitária Brasil-Angola, o CAIS desde o início contou com a presença das mulheres em seus serviços. São voluntárias e diretoras, que também com o apoio de vários homens, dão o suporte necessário a milhares de brasileiros que vivem em Toronto.

Direção engajada

Atualmente, a diretoria é composta por quatro mulheres: Rosana Entler, Roberta Cardoso, Juliana Ferreira e Victoria Mull. As quatro, como muitas mulheres no Canadá, desdobram-se para conciliar trabalho, família e voluntariado. “Contribuir com o CAIS na difusão da cultura brasileira é um constante desafio e vibro com cada pequena conquista. Este voluntariado me proporciona, entre outras coisas, crescimento e satisfação pessoal”, diz Roberta. Victoria concorda: “Como voluntária do CAIS, eu tive a oportunidade aprender muito sobre organizações sem fins lucrativos, organizar eventos e conheci muitas pessoas.  O CAIS é como uma família”. Juliana também destaca uma importante experiência que viveu na instituição: “Tive a oportunidade de participar da pesquisa Latin American Undocumented Workers in GTA, desenvolvida pelas doutoras Denise Gastaldo e Lilian Guimarães. E fico contente em ter ajudado não só a comunidade brasileira como também as políticas sociais na questão da saúde pública”.

Programas e Serviços

O CAIS atua na comunidade com os seguintes serviços:

Oficina de português: para crianças de 3 a 10 anos, tem como atividades centrais o ensino da língua portuguesa falada no Brasil e a divulgação da cultura brasileira, com base numa filosofia construtivista e participativa, com o envolvimento não apenas dos professores voluntários e alunos que não pagam pelas aulas, mas também dos pais e parceiros.

Roda de convívio: tem o objetivo de reunir brasileiros e amantes da cultura brasileira (independentemente de nacionalidade) através de atividades formais, como palestras e ações culturais, e atividades informais, como um bom bate-papo e trocas de experiências. É uma importante ferramenta para a construção da network, que ajuda muito o imigrante.

Orientação ao recém-chegado: a proposta é acolher e fornecer informações culturalmente sensíveis aos brasileiros recém chegados ao Canadá.

Eventos culturais: com o objetivo de divulgar a nossa cultura, promover integração social e arrecadação de fundos para a Instituição. São eles: Festa Junina, Baile de carnaval para crianças, Churrasco no verão, etc.

Voluntários e desafios

Manter a qualidade dos programas oferecidos e organizar novos projetos são desafios da Instituição, que também luta para manter o número de voluntários. O CAIS tem aproximadamente 35 voluntários, que se dedicam regularmente, e aproximadamente 20 eventuais, que ajudam nos eventos. Entre eles, mulheres como Aparecida Conceição, que já deu aulas de português e, agora, participa da roda de convívio: “Este trabalho significa que posso devolver para as duas comunidades, brasileira e canadense, tudo aquilo que eu recebi desde que nasci… É como se fosse uma troca, uma forma de você merecer estar neste país”. A motivação dos voluntários é uma prioridade, diz Victoria que acrescenta: “Os voluntários são a nossa peça mais importante e, sem eles, o CAIS não existe. “Quem quiser conhecer mais sobre a instituição e os programas oferecidos, pode acessar o site www.caisbrasil.org.

1 COMENTÁRIO

  1. foi sempre meu sonho estudar fora do meu pais, gostaria de conhecer novas pessoas, culturas, etc.. e também novo idioma e claro.

Comments are closed.