A criação de suporte a brasileiros em Winnipeg

0
302

A comunidade brasileira em Winnipeg vem crescendo significantemente nos últimos 10 anos.

Conselho de Winnipeg: Ricardo Goncalves, Marcia Monteggia, Lysandra Orsano, Vanice Stein and Maggie Demarchi. Bia Tielmann and Gustavo (Convidado) – Foto: CCBW

Por Ligia Braidotti Chiesorin

Estima-se que existam mais de 4,000 brasileiros expatriados morando na capital da província de Manitoba. Os motivos quem atraem brasileiros à Winnipeg e região são inúmeros.

Christiane Mignot Freitas explicou que sempre teve a vontade de fazer um intercâmbio. A facilidade em achar um emprego na área em que ela e seu marido já trabalhavam no Brasil foi um dos fatores que atraiu a família à Winnipeg.

“Quando nossos filhos de 16 e 15 anos começaram a pedir o intercâmbio, pensamos ‘porque não em família?’” ela disse. “Winnipeg veio à tona porque aqui a profissão do meu marido não é regulamentada…e poderia trabalhar sem problemas em sua profissão desde o dia um.”

Com o crescimento da comunidade Brasileira em Winnipeg veio também a demanda por serviços que facilitassem a adaptação. Os brasileiros então se juntaram em 2015 e criaram o primeiro grupo que iniciaria os muitos suportes aos brasileiros: o Conselho de Cidadania Brasileira de Winnipeg.

Segundo o Itamaraty, esse foro informal e apolítico tem como objetivo aproximar os nacionais que vivem no estrangeiro e a rede consular.

“A cidade de Winnipeg está na jurisdição do posto consular de Toronto. É uma distância física muito grande para o deslocamento. É bastante oneroso ir lá para resolver os assuntos relativos a documentos brasileiros, tais como procurações, registros civis, documentos militares, etc.,” Vanice Stein, presidente do Conselho de Cidadania Brasileira de Winnipeg, disse.

O Conselho de Cidadania Brasileira de Winnipeg já facilitou o consulado itinerante em 2016 e 2017, criou um website (https://conselhocidadaniawinnipeg.com/) e apontou nomes ao consulado para a nomeação de um cônsul honorário, bem como uma vice-cônsul honorário. Gustavo Zentner e Ana Beatriz Monteiro Tielmann foram selecionados para os dois cargos, respectivamente.

O Consulado Honorário do Brasil em Winnipeg foi estabelecido em setembro de 2017 e seus serviços foram iniciados em em julho desse ano.

Zentner explicou que o consulado honorário é aceito pelo governo do Canadá e de Manitoba, e é um posto formalizado e estável que funciona em conjunto com o Consulado Geral em Toronto e a Embaixada do Brasil em Ottawa.

Além de alguns serviços consulares, o consulado honorário também tem como objetivo centralizar a comunicação e representação brasileira ante o governo e a policia canadense.

Essa representação é de extrema importância para o fortalecimento das relações internacionais. O mandato de cônsul honorário é apolítico e independente do governo brasileiro e inclui a promoção cultural, turística, comercial, e econômica do Brasil como um país, não como um governo.

“Nesse momento, brasileiros não são considerados suspeitos para os serviços da policia. Isso significa que não existem incidentes que mostram que algum brasileiro possa ser uma ameaça ou preocupação,” Zentner explicou.

Recentemente, um outro grupo de brasileiros criou a BRASIW – Brazilian Association in Winnipeg Inc. e a incorporaram ao Companies Office em Manitoba no dia 7 de setembro.

Maggie Demarchi, presidente da BRASIW, disse que o objetivo principal é dar boas vindas aos brasileiros recém-chegados e promover o bem-estar dos mesmos através de atividades e programas que ajudem a adaptação à vida no Canadá, enquanto promovendo a cultura e a língua brasileira.

 “A gente tem que mostrar o que tem de bom do Brasil às pessoas, mas sempre lembrando que elas estão no Canada e assimilando um pouco do que é aqui,” Demarchi disse.

A associação é uma organização que serve a toda a comunidade. Eles tem um conselho administrativo, arrecadam dinheiro através de membros, tem um estatuto em inglês, e arrecadam dinheiro para apoiar as atividades do Conselho de Cidadania de Winnipeg.

Esses três grupos não medem esforços para suprir as necessidades dos brasileiros vivendo no exterior. São dezenas de pessoas trabalhando voluntariamente para o bem dos seus compatriotas.

“Eu acredito que todas as estruturas que criamos aqui em Winnipeg, nós não só pensamos em apoiar o Brasileiro que esta aqui, mas também apoiar o Brasil,” Stein disse. “Cada um de nós representa o nosso pais e nós devemos ser agentes de expansão do nosso país, de expansão cultural, expansão econômica, de intercâmbios, e troca de ideias.”

Interessantemente Zentner comentou que os imigrantes brasileiros são os que mais têm suportes acessíveis a eles comparados a outros países da América Latina.

“Uma Associação brasileira boa, forte e saudável significa melhores serviços e integração para brasileiros visitantes, estudantes e imigrantes em Manitoba. É do interesse de todos ter uma forte associação que represente interesses coletivos,” ele disse.