A máquina que fala a língua da minha avó – Conto infantil

Lily, uma garotinha inteligente e cheia de energia, vivia em Toronto, sendo filha única de pai brasileiro e mãe canadense. Sua avó, a querida vovó Elza, havia chegado recentemente do Brasil para passar a temporada de Natal e Ano Novo com a família canadense, pela primeira vez.

Lily estava encantada com a presença da avó em casa e curiosa para saber tudo sobre o país onde o seu pai havia nascido. Principalmente sobre os priminhos de sua idade, que só conhecia por fotos: onde estudavam, o que faziam nas férias, o que gostavam de brincar, jogar, comer e tudo mais.

Lily resolveu então que Vovó Elza seria, naquela temporada, a sua “melhor amiga” e que descobriria tudo sobre os seus primos brasileiros, nas conversas com ela. No entanto, havia um pequeno desafio: vovó Elza quase não falava inglês, e isso tornava as conversas com Lily um tanto limitadas. Soube que quando vovó Elza veio ao Canadá, ainda jovem, tinha ficado em Montreal e só aprendido francês.

Lily imediatamente percebeu que as conversas, em inglês, com a sua “melhor amiga”, não teriam muito sucesso.

Um dia, enquanto explorava a biblioteca pública local, Lily encontrou a solução para esse dilema: um aparelho de tradução automática. Seus olhos brilharam de empolgação ao pensar que finalmente poderia se comunicar com sua avó Elza. Correu para casa com o novo tesouro.

Ao chegar em casa, Lily foi direto para o quarto, onde ensaiou algumas poucas frases em português, com a ajuda do tradutor automático que pegou emprestado da biblioteca. Em seguida, foi à cozinha, onde vovó Elza preparava uma feijoada cheirosa.

Lily: (com entusiasmo) Oi, vovó Elza! Que cheirinho bom. O que você está preparando para o jantar?

Vovó Elza olhou para a neta com surpresa, estranhando a fluidez da frase em português e, sorrindo, respondeu: Oi, minha querida! Estou preparando uma feijoada deliciosa para o nosso jantar. É o prato predileto do seu pai.

Lily: (com um sorriso maroto, continuou com outra frase memorizada em português) Eu tenho uma surpresa para você!

Lily em seguida apresentou o dispositivo de tradução automática à vovó Elza, que ficou intrigada.

Lily começou a falar em inglês, e o tradutor transformava suas palavras para o português. É um tradutor automático! Agora já podemos conversar!

Lily: (em inglês) O inverno aqui em Toronto é muito divertido, vovó Elza! Adoro fazer bonecos de neve e patinar no gelo!

O tradutor fazia seu trabalho, e vovó Elza sorria com entendimento: Ah, que delícia essa conversa! E quando começar a nevar nós duas vamos fazer um boneco de neve gigante e mandar as fotos para os seus primos no Brasil. Techo certeza que ele vão adorar e… morrer de inveja, rs! rs! rs!

E por falar nisso, Lily, você sabia que um dia o Lucas, a Renata e o Pituca (o cachorrinho deles) foram visitar uma fazenda no interior de São Paulo e…

Vovó Elza começou a contar histórias e mais histórias sobre os primos brasileiros e travessuras do pet da família.

As duas passaram a tarde conversando, compartilhando risadas. O tradutor tornou-se a ferramenta mágica que conectava as duas gerações, unindo o presente de Lily no Canadá ao passado e à cultura brasileira da família de seu pai.

No final do dia, Lily abraçou a vovó Elza, agradecendo por um dia tão especial.
Vovó Elza: Foi um dia incrível, Lily! Estou tão feliz por poder compartilhar todas essas histórias com você.

Algumas semanas passaram e Lily continuou usando o tradutor para se comunicar com a vovó Elza. No entanto, ela começou a perceber que queria compreender melhor a língua de seu pai, da sua avó e de sua família brasileira.

Foi quando, um dia, Lily teve uma ideia. Decidiu que aprenderia português por conta própria. Com determinação, matriculou-se em aulas online, pegou livros de português na biblioteca pública e começou a praticar todos os dias. Sua avó Elza ficou surpresa e emocionada ao descobrir a notícia.

Lily: (em português ainda em aprendizado) Vovó Elza, eu resolvi aprender português para não precisar usar o tradutor com você. E também, porque quero conversar com os meus primos do Brasil, em português!

Vovó Elza, com lágrimas nos olhos, abraçou a neta e falou: (emocionada) Lily, minha querida, isso é maravilhoso! Estou tão orgulhosa de você.

E assim, a jornada de Lily para aprender português começou. Uma jornada que não era apenas sobre palavras, mas sobre conexões mais profundas com suas raízes e sua amada avó Elza e toda a familia do Brasil.

O tradutor automático trouxe a oportunidade, mas o desejo de compreensão levou Lily a buscar e se aprofundar mais nos estudos de português, abrindo as portas para novos capítulos emocionantes em sua vida no futuro.


AREA DO LEITOR: COMPARTILHE UM CONTO SEU AQUI NA REVISTA WAVE. ENVIE O SEU TEXTO PARA O E-MAIL: [email protected]

Advertisement