Canadá incentiva imigração com medida histórica

"Enquanto enfrentamos a segunda onda da pandemia e traçamos um curso para nossa recuperação, atrair imigrantes qualificados – que trazem os talentos e habilidades de que nossa economia precisa para prosperar – é uma parte central de nosso plano", diz comunicado oficial.

0
27
Canadá incentiva imigração com medidas históricas

O Governo do Canadá convidou um número recorde de pessoas para aplicarem para a Residência Permanente (PR) pelo Express Entry (EE), programa de imigração conduzido pelo órgão Immigration, Refugees and Citizenship Canada (IRCC). No dia 13 fevereiro deste ano, 27.332 estrangeiros receberam o chamado Invitation to Apply (ITA). A nota de corte (cut-off) da última rodada de convites (conhecida como draw) foi de apenas 75 pontos. A intenção do país é manter profissionais que já estejam no Canadá. “Enquanto enfrentamos a segunda onda da pandemia e traçamos um curso para nossa recuperação, atrair imigrantes qualificados – que trazem os talentos e habilidades de que nossa economia precisa para prosperar – é uma parte central de nosso plano”, diz comunicado oficial.

O feito é histórico. Para se ter uma ideia, o montante de ITA enviado em um único draw é o mais alto desde a criação do EE, em 2015, e cinco vezes maior do que o recorde anterior, que havia sido de 5 mil convites feitos no final de 2020. A nota de corte também nunca tinha sido tão baixa, um número quase dez vezes menor do que a anterior. Ao observar os dados dos últimos anos, é possível notar que o cut-off girava em torno de 450 pontos, ou seja, muito superior aos 75 pontos da rodada de convites de fevereiro. “Muitos acharam que era erro do sistema”, conta Giovanna Barino, 34 anos, professora de inglês especialista em preparação para provas de proficiência do Casal Nerd no Canadá. A meta do governo é receber 401 mil novos residentes permanentes ainda em 2021.

Giovanna, do Casal Nerd no Canadá, vê cenário promissor para quem quer a Residência Permanente e já reside no país. (Foto: arquivo pessoal)

Em seu site e nas redes sociais, Giovanna compartilha, entre outras experiências, seu processo de imigracão. Para ela, que acompanha o movimento do EE desde que aplicou para ele, em 2016, esse recorde de ITA pode ser um sinal de que as fronteiras do país ainda vão permanecer fechadas por um bom tempo, por causa da pandemia do Covid-19. “Trata-se de uma excelente oportunidade para quem já está no Canadá e que pretende imigrar. Meu conselho é aplicar e se planejar o quanto antes, pois podem surgir outros draws para esse perfil. Infelizmente, para quem está ainda no Brasil, isso pode ser frustrante. Também acredito que depois da abertura das fronteiras os draws voltem a ser mais conservadores, como antes. Então, agora é um bom momento para tentar.”

Adelaine e Araão, pais da canadense Rivkah, foram contemplados com o ITA no sorteio recorde de fevereiro deste ano. (Foto: arquivo pessoal)

A brasileira Adelaine Lisboa Gasana, 29 anos, foi uma das contempladas com o ITA nesta leva, com seu marido, Araão Gasana Júnior, 38, como principal aplicante no Comprehensive Ranking System (CRS), sistema do EE. Ela conta que Araão havia prestado o exame de proficiência em inglês há apenas um mês e refez o cadastro no dia 25 de janeiro, mas ainda não tinham pontuação suficiente. “Até pensamos em fazer a prova de francês para aumentar nossas chances no processo de imigração. Não precisou! Em cerca de duas semanas nosso ITA saiu. Esse é um sonho para o qual estamos nos planejando há oito anos e agora sinto que estamos no meio do caminho”, diz ela, que tem uma pequena bebê canadense de apenas oito meses de idade, a Rivkah.

Os trabalhadores convidados, neste momento, se enquadram na Canadian Experience Class (CEC), ou seja, são pessoas que já têm experiência de trabalho canadense. Esse era o caso de Araão, que atua na área de tecnologia na cidade de Prince George, em British Columbia, onde vivem. Quem recebeu o ITA tem até 90 dias para enviar ao governo todos os documentos solicitados, por meio do website do CRS. “É um investimento financeiro alto, pois além dos gastos com o processo, temos de comprovar uma certa quantia em dinheiro ao governo, que é calculada por membros da família”, diz Adelaine. Ela conta que até fez uma planilha para se organizar com tudo o que precisa fazer, já que são muitos materiais para mandarem pelo EE e etapas para cumprirem.

Pelo visto, o momento está favorável para quem, assim como Adelaine, sonha em permanecer no Canadá. Para isso, porém, é importante se planejar.

Quatro dicas importantes:

1) economizar o dinheiro tanto para comprovação da renda quanto para usar nos custos do processo;

2) investir em formação;

3) Já deixar o que é possível de documentos preparados para a comprovação depois (como diplomas validados, caso sejam de fora do Canadá);

4) investir no idioma (seja inglês ou francês). “A formação e o nível do idioma são as variáveis que os aplicantes têm mais controle de mudar, pois cabe a eles investir nisso, e as notas podem aumentar bastante.

Para as provas de proficiência, além dos estudos do idioma, é importante o uso de técnicas, como controle do tempo, por exemplo. ” Os dois caminham juntos”, diz Giovanna. Por fim, vale seguir o exemplos de Giovanna e de Adelaine e entender muito bem o processo. “Independentemente de ter uma consultoria de imigração ou não para ajudar, é essencial cada um ter o controle de sua própria aplicação, dando prioridade a isso, compreendendo perfeitamente cada passo e se preparando para eles. Não dá para arriscar e colocar e seu futuro inteiramente nas mãos de terceiros”, finaliza Giovanna.
Por que vocês decidiram imigrar para o Canadá?

Meu marido, Araão, já havia morado fora do Brasil antes e tinha o sonho de vir para o Canadá. Comecei, então, a pesquisar mais sobre o país, ver vídeos e a me informar a respeito do processo de imigração. Acabei me encantando pelo Canadá. Depois de uma série de descontentamentos no Brasil, como um sequestro relâmpago sofrido pela minha cunhada, resolvemos que era a hora de ir embora. O medo da violência foi um dos fatores definitivos para a nossa decisão.

Leia abaixo a entrevista completa com Adelaine, que conta um pouco de como foi seu processo até receber o ITA e quais os próximos passos

Um sonho se concretizando

Como vocês se planejaram?

Nosso plano Canadá começou há oito anos, quando passamos a poupar dinheiro e pesquisar a melhor forma de imigrar. Estávamos em busca dos métodos que poderiam nos dar mais chances de conseguirmos a Residência Permanente (PR). Optamos por vir com visto de estudos para o Araão e de trabalho aberto para mim. Contratamos uma assessoria de imigração para nos ajudar nisso. Meu marido aplicou para estudar em um college público e assim poderíamos pedir o Post-Graduation Work Permit (PGWP), que é um visto de trabalho, quando ele terminasse o curso. O passo seguinte seria tentar a residência.

Quando chegaram por aqui e como escolheram a cidade onde moram?

Chegamos em Prince George, na província de British Columbia, em agosto de 2016. Nossa ideia era morar em Vancouver, mas durante nosso planejamento vimos que tudo lá era muito caro, desde o aluguel até o custo dos cursos. Então, olhando por um aplicativo de mapas, me deparei com Prince George. Vi que era uma cidade com preços mais acessíveis e bons lugares para estudar.

Conte sobre como foi que descobriram que haviam recebido o ITA.

Nós havíamos feito o cadastro no Comprehensive Ranking System (CRS) em 2017, mas estávamos longe de ter a pontuação necessária para sermos elegíveis para a Residência Permanente. O Araão ainda estava estudando, então esperamos ele terminar o curso do college, aplicamos para o PGWP e tentamos novamente nos cadastrar no sistema. Como o exame de proficiência dele já havia expirado, foi o tempo de ele refazer a prova, cerca de um mês antes de recebermos o ITA. Preenchi os dados novamente, no dia 25 de janeiro, mas nossa pontuação era de 431 e a nota de corte estava em 460. Então, pensamos em tentar fazer um exame de francês para aumentar os pontos. Nem acreditei quando vi, cerca de duas semanas depois, que nós tínhamos sido contemplados! Li uma reportagem sobre o assunto no dia e fui correndo verificar no sistema.

Quais são os próximos passos?

Agora temos de reunir e dar upload de todos os documentos que eles pedem. Tudo o que descrevemos no sistema, temos de comprovar. Por exemplo, se colocamos alguma formação do Brasil, é preciso ter o diploma validado aqui no Canadá e enviar o documento, assim como comprovação de renda, histórico criminal, entre outros. Há outras etapas que custam dinheiro, como o exame médico que tem que ser feito com profissionais de saúde credenciados. Pagamos mil dólares por isso. É um processo trabalhoso e é necessário se organizar para não se perder. Temos 90 dias para enviar tudo e eles vão aprovando por etapas.

Que dicas você daria para quem, assim como vocês, quer aplicar para a Residência Permanente no Canadá?

Acho que o primeiro passo é pesquisar muito e se planejar financeiramente. É preciso pensar não somente no quanto vai gastar com estudos e para sobreviver mas, também, é necessário ter uma reserva de dinheiro, que precisa ser comprovada caso você receba o ITA. Esse valor varia de acordo com a quantidade de membros na família e todas as informações podem ser pesquisadas no site do governo.

Investir no idioma, seja inglês ou francês, também é uma das coisas que mais pode ajudar a aumentar a pontuação no Express Entry (EE). Trabalhar no Canadá conta muito! Nossa pontuação aumentou significativamente depois que o Araão completou um ano de trabalho, aqui.

Por fim, se organizar com a documentação, pois muitos processos são demorados e podem levar mais do que os 90 dias que temos para subir os documentos no sistema. Por exemplo, para conseguir validar um diploma brasileiro no Canadá é preciso considerar o tempo de a instituição de ensino mandar o diploma para o órgão que vai validá-lo aqui, a demora do processo no próprio Canadá e, também, os eventuais imprevistos por conta da pandemia do Covid-19. Nós já fizemos tudo isso anos antes, para não corrermos o risco de não dar tempo quando recebêssemos o ITA.

O que pensam do futuro? Qual seu sonho aqui no Canadá?

Sinto que estamos cada vez mais perto do sonho que começamos a planejar lá em 2015, quando decidimos vir para cá. Com a residência permanente, quero fazer um curso de “Inglês Como Segunda Língua” (English as a Second Language) que é gratuíto para esse público. Continuaremos a investir em formação, mas as facilidades são maiores agora, tanto para poder trabalhar, quanto em relação aos benefícios concedidos pelo governo. Sou da área administrativa e ainda penso se continuarei nela ou se mudarei de profissão. De qualquer forma, as portas estarão mais abertas.
Como funciona a pontuação no EE

O sistema de pontuação do Express Entry (EE) é o chamado Comprehensive Ranking System (CRS). Essa é uma forma de tentar imigrar para o Canadá. Os interessados devem se cadastrar nele, preenchendo todos os campos para chegar a uma pontuação. O máximo de pontos que é possível fazer no sistema é 1.200, sendo que 600 são critérios relacionados a dados pessoais dos candidatos, como idade, estado civil, etc. O restante é referente a questões adicionais, como por exemplo ter uma proposta de trabalho no Canadá.

Periodicamente, existe o que é chamado de draw, em que um número de pessoas recebe o Invitation to Apply (ITA), que é o convite para aplicar oficialmente para a residência permanente, com base em uma nota de corte estipulada pelo governo canadense (cut-off). Tanto essa nota quanto a quantidade de pessoas convidadas varia em cada draw. Quem recebe o ITA tem 90 dias para enviar todos os documentos necessários ao governo canadense, comprovando tudo o que descreveu no site do EE. Qualquer pessoa pode simular o cadastro no EE para saber qual a nota que alcançaria naquele momento, por uma ferramenta no próprio site do CRS.

Dicas para quem quer aplicar para o Express Entry

  • Ter certeza de que é elegível.
  • Estudar todas as etapas do processo no próprio site do governo canadense (canada.ca) e outras fontes confiáveis.
  • Usar a própria ferramenta do CRS para calcular sua pontuação
  • Fazer testes com vários níveis de inglês para saber com que nota mínima suas chances de conseguir o ITA seriam mais plausíveis.
  • Caso seja casado(a), testar com os dois membros do casal como aplicantes principais, para verificar com qual a pontuação seria maior.
  • Investir tanto no estudo dos idiomas, quanto nas técnicas para a prova de proficiência.
  • Organizar, previamente, os documentos exigidos no processo de imigração (o que for possível), como, por exemplo, validação de diplomas.
  • Economizar dinheiro para pagar as taxas do processo e para comprovação financeira.

Impacto dos estrangeiros no país

  • Os imigrantes são donos de uma em cada três empresas com funcionários no Canadá.
  • Eles representam mais de um terço dos médicos e farmacêuticos do país.
  • Os estudantes internacionais contribuem com mais de US$ 21 bilhões anuais para a economia canadense.

DEIXE SUA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui