Copa FIFA 2026 no México, EUA e Canadá

No mundo do futebol, a expectativa já está se construindo para a aguardada Copa do Mundo FIFA de 2026. O próximo torneio promete ser histórico, não apenas pelos emocionantes jogos e acirrada competição, mas também como um testemunho da colaboração internacional, com México, Canadá e Estados Unidos unindo forças como co-anfitriões.

Imgaem ilustrativa de torcedora canadense. (Fonte: dreamstime.com)

Programada para começar em 11 de junho de 2026, no Estádio Azteca, na Cidade do México, a Copa do Mundo de 2026 marcará o início de um mês de extravaganza do futebol, com jogos em três diferentes países.

O Canadá está programado para sediar um total de 13 jogos, distribuídos entre Vancouver e Toronto, oferecendo aos fãs a chance de testemunhar o melhor talento do futebol mundial em ação.

Os holofotes estarão intensos sobre Toronto, pois o BMO Field se tornará o palco para a partida inaugural do Canadá em 12 de junho. Para atender à exigência de assentos da FIFA, que é de 45.000, o BMO Field passará por uma transformação temporária.
À medida que a equipe do Canadá entrar em campo em Toronto, a cidade estará pulsando com energia, recebendo fãs de todo o mundo. A partida não é apenas um evento esportivo; é uma celebração de união, diversidade e fair play. O clima no BMO Field será elétrico, estabelecendo o tom para um torneio inesquecível.

Após sua estreia em Toronto, a equipe do Canadá seguirá para Vancouver, para as duas próximas partidas no BC Place. Tanto Toronto quanto Vancouver serão palco de cinco jogos da fase de grupos cada, garantindo que os entusiastas do futebol nessas cidades tenham amplas oportunidades para testemunhar uma competição de alto nível. O cronograma cuidadosamente elaborado inclui partidas em diferentes dias, permitindo que os torcedores planejem sua presença e se envolvam na emoção da Copa do Mundo.

Benefícios econômicos para as cidades anfitriãs

Além da emoção das partidas, espera-se que a Copa do Mundo de 2026 traga benefícios econômicos significativos para as cidades anfitriãs. Toronto, em particular, projeta experimentar um impulso, com um estimado de $307 milhões no Produto Interno Bruto, a criação de 3.300 empregos e a atração de 174.000 visitantes durante o torneio.
Enquanto a comunidade global de futebol aguarda ansiosamente a Copa do Mundo FIFA de 2026, a expectativa não se limita apenas aos gols, defesas e vitórias. Trata-se da experiência compartilhada de fãs de diferentes partes do mundo se reunindo para celebrar um esporte que transcende fronteiras. O papel do Canadá como co-anfitrião adiciona um sabor único ao torneio, garantindo que a Copa do Mundo de 2026 seja lembrada não apenas pela ação em campo, mas também pela unidade e camaradagem que promove entre as nações.

Esta é a primeira vez que o torneio será compartilhado por três países diferentes. Prepare-se para um espetáculo de futebol como nenhum outro, onde o mundo converge na América do Norte para celebrar o campeonato. Os jogos serão realizados em 16 cidades-sedes da América do Norte: Vancouver e Toronto (Canadá); Cidade do México, Guadalajara e Monterrey (México); Seattle, São Francisco, Los Angeles, Kansas City, Dallas, Atlanta, Houston, Boston, Filadélfia, Miami e Nova York/Nova Jersey (EUA).

Curiosidade: o roubo da Taça Jules Rimet em 1983

A Taça Jules Rimet original (foto à esq.), roubada no Rio em 1983, e a Taça Fifa. (Foto: Antonio Scorza – 4.nov.02/France Presse)

A Taça Jules Rimet foi instituída em 1928 e destinava-se à equipe vencedora da Copa do Mundo. A cada quatro anos, a relíquia encontrava uma nova casa. Contudo, o país que primeiro alcançasse o tricampeonato asseguraria o troféu permanentemente. O Brasil conquistou o título em três ocasiões, garantindo assim a posse definitiva da taça. Em 19 de dezembro de 1983, a estatueta, confeccionada com 3,8 kg de ouro e incrustada de diamantes, foi roubada da sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no Rio de Janeiro e, até os dias atuais, permanece desaparecida.

Advertisement