Entrevista com Letícia Salles, atriz na nova versão da novela Pantanal

A novela é uma saga familiar que tem o amor como fio condutor e a natureza como protagonista.

0
301

A novela Pantanal tem previsão de estreia no canal internacional da Globo, em simulcast no Globoplay, para o dia 28 de março. 

A personagem Filó (Letícia Salles), da novela Pantanal. (Foto: João Miguel Júnior)

O pantanal brasileiro é fonte da maior planície alagada do mundo e tem a maior concentração de fauna das américas. Foi a grande inspiração para a obra escrita há mais de 30 anos por Benedito Ruy Barbosa e que chega à TV Globo em 2022. A nova versão é escrita pelo autor, Bruno Luperi, e tem a direção artística de Rogério Gomes. É uma saga familiar que tem o amor como fio condutor e a natureza como protagonista. Em entrevista, a atriz Letícia Salles fala sobre o seu papel na novela ‘Pantanal’.

Você é jovem, já era nascida quando a novela ‘Pantanal’ foi ao ar pela primeira vez?
LETÍCIA: Tenho 26 anos, não era nascida quando ‘Pantanal’ foi ao ar, mas minha família sempre falou muito sobre a novela. Tanto que parece até que eu a assistia. São personagens com os quais eu me sinto próxima, principalmente da Filó, que estou fazendo, que tem uma força enorme. É uma mulher muito forte com a qual eu me identifico em vários fatores. Ela tem uma simplicidade que nos aproxima muito. Minha avó é uma das pessoas com quem eu mais converso sobre a novela e ela me conta sobre todos os personagens. Ficou encantada quando eu contei a ela que eu interpretaria a Filó. Ela adora a Tania Alves e a Jussara, que fizeram a Filó na primeira versão.
 
E como está sendo dar vida à Filó?
LETÍCIA: Está sendo um presente porque é meu primeiro trabalho na TV. Trabalhei como modelo por sete anos e voltei ao Brasil em fevereiro de 2020 para estudar artes cênicas. Desde então, estou estudando. Eu tinha 19 anos quando comecei a trabalhar como modelo, no Rio de Janeiro, depois viajei para Londres onde fiquei dois anos. Depois disso é que voltei ao Brasil com essa proposta de estudar teatro. Fiquei um pouco nervosa ao fazer o teste com o Renato Góes, ator que interpreta o Zé Leôncio na juventude. Mas foi muito legal, uma experiência muito bacana. Tive esse primeiro contato com o jogo de luzes, de câmera, e de troca de diálogos. Foi muito importante para mim, eu adorei tudo. Entre fazer o teste e receber a notícia de que eu estava no elenco, foram uns dois meses. Fiquei muito feliz. É o meu primeiro trabalho. É uma novela grande… 
 
Como foi a construção da personagem?
LETÍCIA: Quando me enviaram todas as características da personagem Filó, comecei a buscar na internet imagens da novela e vídeos. Assisti às meninas que viviam nas currutelas, vi algumas entrevistas. Mas acho que a experiência mais incrível foi depois que eu cheguei ao Pantanal. Eu já estava construindo essa personagem antes, mas estar ali, nessa vivência do dia a dia, me aproximou da personagem e do ambiente ainda mais.
Conversei com pessoas que já conviveram com mulheres de currutela e todo dia descubri algo diferente sobre a Filó. E isso foi fundamental para a minha construção da Filó. Aliás, é uma personagem que sempre estará em construção.
Eu fiz umas aulas de expressão corporal. Por ser modelo, tenho a postura muito ereta, eu precisei “desajustar”, ficar mais solta, sentir meus pés mais firmes e enraizado no contato com a terra.

Para você, que é a Filó?
LETÍCIA: A Filó é uma personagem mulher que sente um amor que, hoje em dia, é muito difícil de a agente encontrar. Ela é uma “loba”, porque cuida da matilha. Ela tem sororidade, isso é incrível!

Como foi seu processo de caracterização da Filó?
LETÍCIA: Tive que colocar aplique para fazer uma extensão no cabelo e foi ótimo. Gravo com ele solto, às vezes meio preso, como quando estou na cozinha. E maquiagem quase nada, só tirar umas imperfeições da pele, mas é tudo muito natural. 
 
Você já conhecia o Pantanal?
LETÍCIA: Não, foi a primeira vez. Fiquei empolgada ao estar lá, mas triste de ver a seca. Temos um bioma muito rico, administrado de maneira muito irresponsável. Aos domingos tínhamos o dia de folga e fui conhecer as outras fazendas onde são gravadas as outras cenas. Tive a oportunidade de mergulhar no rio também, foi muito legal essa experiência. 
 
Como foi gravar no Pantanal?
LETÍCIA: Mágico! E muito quente (risos). Mas foi muito importante, porque lá encontrei mais ainda a Filó e pude sentir as vibrações do Pantanal. O calor foi mais difícil no começo, mas acabei me habituando. Até porque, como sou carioca, calor é meu segundo nome. Experimentei coisas novas, como o tererê e a sopa paraguaia, que é muito gostosa. Não deu nem tempo de sentir saudade de nada do Rio de Janeiro.

Precisou fazer algum workshop?
LETÍCIA: Fiz workshop de três dias, de culinária. Aprendi a fazer curau de milho, uns doces de mandioca muito gostosos, limpar peixe e descascar mandioca. A atriz Dira Paes, que interpreta a Filó na segunda fase, fez o workshop comigo, o que foi incrível.

Você tem uma relação próxima com a natureza?
LETÍCIA: Desde pequena nunca tive muito contato com a natureza, apesar de gostar muito, defender demais. Agora estou começando a ficar mais confortável, a lidar melhor com a natureza. Eu até brinco com a Bruna (Linzmeyer) que ela é a Filó e eu sou a Madeleine. Eu tenho medo de tudo e ela fica super à vontade no contato com os animais. (Risos).

 __

‘Pantanal’ é escrita por Bruno Luperi, baseada na novela original escrita por Benedito Ruy Barbosa. A direção artística é de Rogério Gomes, direção de Walter Carvalho, Davi Alves, Beta Richard e Noa Bressane. A produção é de Luciana Monteiro e Andrea Kelly, e a direção de gênero é de José Luiz Villamarim.