Entrevista com Tony Ramos

"Eu já estive no lindo Canadá como turista e adorei! A província de Quebec é muito agradável e Toronto é uma cidade moderna. Enfim, dez dias foram poucos. Eu pretendo voltar, pois quero fazer uma travessia até Vancouver. Mas, só depois da vacina."

0
88
Tony Ramos. (Foto: Globo, Estevam Avellar)

Quando pensamos em ícones da TV brasileira, mais especificamente da teledramaturgia, um dos primeiros nomes que nos vêm à mente, sem dúvida alguma, é o do ator Tony Ramos, 72 anos.

Antônio de Carvalho Barbosa, ou simplesmente Tony Ramos, é um dos artistas mais queridos e favoritos do grande público, e isso se deve não somente pelo grande talento já comprovado pelo ator durante os seus 57 anos de carreira, mas também pelo seu carisma, por sua simpatia e pela fama de “bom moço” que ele sempre teve.

Sua estreia na televisão aconteceu em 1964, na antiga TV Tupi, quando o astro atuou em alguns esquetes do programa “Novos em Foco”, que era um tipo de teste realizado pela emissora para descobrir novos atores. Depois disso, ele fez um programa atrás do outro, até que, em 1965, protagonizou a sua primeira telenovela, “A Outra”.
Em 1977, Tony foi para a TV Globo, onde interpretou o personagem Paulo Morel, na novela Espelho Mágico. Em seguida, foram outras diversas novelas, minisséries e atrações na emissora que o ator trabalha até hoje.

Os autores renomados de novelas, como Manoel Carlos, Silvio de Abreu, Benedito Ruy Barbosa e muito outros, sempre gostaram de tê-lo em suas obras, pois seria certeza de sucesso. Então, eles sempre deram diversos papéis principais ao galã, que desempenhou com maestria a cada um deles.

Tony Ramos também é unanimidade entre os colegas de profissão, ou seja, é muito querido e reconhecido como um dos melhores da categoria. Vários atores e atrizes já disseram em outras entrevistas que ele é generoso, sabe reconhecer o sucesso de outros artistas e que isso é uma característica somente de grandes profissionais.
Apesar de bastante discreta, a vida pessoal do ator também é bem-sucedida e admirada por muitos. Motivo: ele está casado há 51 anos com Lidiane Barbosa, 69 anos, com quem tem dois filhos, o médico Rodrigo, 49 anos, e a advogada Andréa, 48 anos. Segundo Tony, a união é bem sucedida, pois está repleta de afeto, respeito e muito amor.
O astro brasileiro afirma ainda que tem uma grande admiração pela Canadá e destaca os lugares que mais gostou durante uma viagem que fez ao país.

Confira a entrevista que Tony Ramos concedeu à Brazilian Wave.

Tony Ramos. (Foto: Globo, Estevam Avellar)

Wave – Você sempre quis ser ator? Conte-nos como foi o início da sua carreira.
Tony Ramos – Desde as minhas idas ao cinema, em 1950, eu sempre sonhei com essa profissão. Eu tinha um ídolo no Brasil que era o ator Oscarito, um grande nome do cinema até os anos 70. A partir dele, veio toda a minha dedicação a essa carreira.

Wave – Quais são os atores e atrizes que te inspiraram na profissão?
Tony Ramos – A minha inspiração no trabalho foi o Oscarito. Com o passar dos anos, eu passei a olhar para os atores Totó e Mastroianni, devido à minha identificação com o grande cinema italiano. Com a minha entrada na TV brasileira, aos 14 anos de idade, eu fui conhecendo e aprendendo com os grandes atores e atrizes do meu país.

Wave – Você considera que há diferenças tanto na atuação, quanto no preparo para a carreira, entre os atores de 30 ou 40 anos atrás e os atuais? Em quais aspectos isso melhorou ou não?
Tony Ramos – Não há diferença. Um ator tem que se concentrar no texto e nas suas entrelinhas, compreendendo, pesquisando, enfim, estudando. E para isso não há época diferente. O que mudou são as novas ferramentas tecnológicas.

Wave – Quais foram os personagens interpretados por você que mais marcaram a sua carreira?
Tony Ramos – É difícil responder a essa pergunta, pois eu tenho, dentre teatro, televisão e cinema, mais de 100 personagens. Claro, na TV eu sempre irei destacar o Márcio, que foi o meu personagem em “O Astro”; o André, da novela “Pai Herói”; os gêmeos Quinzinho e João Vitor, de “Baila Comigo”; o Riobaldo, de “Grande Sertão Veredas”; Juca, de “A Próxima Vítima”; Nikos, de “Belíssima”; Totó, de “Passione”; Zé Clementino, de “Torre de Babel”; Manolo, de “ As Filhas da Mãe”; Zé Maria, de “A Regra do Jogo”. Desculpe, é difícil! Graças a Deus, eu tenho uma caminhada nessa profissão que me dá muitas alegrias. E veja, faltam os do teatro e do cinema. Amém!

Wave – Qual a sua análise sobre a TV brasileira no momento?
Tony Ramos – A TV aberta está se reinventando, existem novas tecnologias. Porém, mesmo após os 70 anos da televisão no Brasil, ela continua vigorosa. O que vai mudar é a maneira de se ver TV.

Wave – Você já visitou o Canadá? O que conhece sobre a cultura canadense?
Tony Ramos – Eu já estive no lindo Canadá como turista e adorei! A província de Quebec é muito agradável e Toronto é uma cidade moderna. Enfim, dez dias foram poucos. Eu pretendo voltar, pois quero fazer uma travessia até Vancouver. Mas, só depois da vacina. Quanto à cultura canadense específica, creio que ela se mistura muito com a do cinema americano. Eu teria que ficar mais tempo no país para entender a cultura tradicional.

Wave – Como você e a sua família vem enfrentando essa situação atípica da pandemia? Você acha que essa experiência está servindo para as pessoas repensarem alguns conceitos e olharem a vida de uma outra maneira?
Tony Ramos – A pandemia nos alertou para muita coisa que é desnecessária. Porém, infelizmente, eu nem sempre acredito que o ser humano irá aprender. Há muita ganância e soberba no mundo. A nossa família ficou em quarentena, os netos com aulas pela Internet, a minha filha advogada em home office e meu filho, que é cirurgião, teve que continuar com o seu trabalho – com todos os cuidados. Deus é Pai! Então, vida que segue! Mas, com os cuidados absolutos, com as máscaras, etc.

Tony Ramos com a esposa Lidiane. (Foto: Globo, Estevam Avellar)

Wave – Você e a Lidiane Barbosa estão casados há 51 anos, têm dois filhos e o relacionamento de vocês parece perfeito. Qual é o segredo para o sucesso a dois durante tantos anos?
Tony Ramos – A nossa união é como diz a palavra: uma união de afeto, respeito e muito amor. Para os tempos atuais, o meu encontro com a Lidiane é uma bênção! Nós conversamos pelo olhar. São 51 anos de um encontro de amor, simples assim. Agora, acredito eu, ninguém neste mundo pode ser totalmente feliz convivendo, ainda, com preconceitos, intolerâncias e soberbas. Essa felicidade tem que ser buscada por todos nós, respeitando a individualidade de cada ser humano. Aí seria um mundo perfeito. Quando? Gostaria de ter essa resposta. Pessoalmente, em nosso pequeno mundo, a Lidiane e eu achamos a nossa história, feita com amor, carinho e respeito.

Wave – Quais são os seus projetos para 2021?
Tony Ramos – Eu tenho um filme pronto para o cinema, o “Aos 45’ do Segundo Tempo”. Nós aguardaremos o melhor momento pós-pandemia para lançá-lo. A direção é do Luiz Villaça. Quem já viu diz: “O filme é surpreendente!”. Trata-se de um poema e, ainda por cima, de uma comédia. Eu também estou reservado para uma novela das nove na TV Globo, de autoria do João Emanuel Carneiro, o mesmo autor de “Avenida Brasil”.