Bate-papo com Bebel Gilberto

A cantora e compositora brasileira se apresenta em Toronto e Montreal nos dias 8 e 9 de julho, com o show "Agora"

2
84

A cantora Bebel Gilberto está de volta aos palcos para apresentar as músicas de seu novo album chamado “Agora”, e se diz pronta para qualquer desafio. 

Bebel vai se apresentar no Canadá, nas cidades de Toronto e Montreal, e deu uma entrevista para a Wave Canada.

Entrevista com a cantora e compositora Bebel Gilberto

Infância e início de carreira

WAVE: A relação família e música são muito fortes na sua vida. Dos 5 aos 8 anos, você morou em São Paulo com seus avós maternos, a pianista e pintora Maria Amélia Buarque de Hollanda e o historiador Sérgio Buarque de Hollanda. Você tem lembranças dessa época?
BEBEL GILBERTO: Lembro sim. Tinha um morro com uma jaboticabeira no topo onde eu adorava brincar subindo nela. Inclusive, no meu segundo disco, eu escrevi uma música com Carlinhos Brown chamada “Jaboticaba”, em homenagem a essa epoca tão maravilhosa da minha vida.

WAVE: Pensou em seguir outra carreira quando criança ou adolescente?
BEBEL GILBERTO: Sempre quis ser cantora. Sempre gostei de cantar. Tentei ser atriz quando adolescente, mas sempre tinha música envolvida nos meus projetos ou trabalhos teatrais.

Pais cantores

WAVE: Você já se cobrou ou se cobra muito por ser filha do imenso e inesquecível João Gilberto e da Miúcha?
BEBEL GILBERTO: Sempre. Principalmente quando eu era criança, mas confesso que ainda me cobro, principalmente antes de entrar no palco.

WAVE: Seu pai prestava muita atenção nos detalhes das músicas e na interpretação das mesmas. Ele se envolvia nos teus projetos? Se sim, como você lidava com as críticas ou sugestōes?
BEBEL GILBERTO: Sim, papai criticava bastante. Se eu não tivesse trabalhando com ele o trabalho não prestava. As vezes ele fazia sugestōes, nas quais muitas sigo até hoje. Mas nunca me senti frustrada porque sempre entendi que esse era o jeito dele.

WAVE: Quando ou em que momento você percebeu a importância do seu pai para a música brasileira?
BEBEL GILBERTO: Eu sempre soube, mas só percebi o tamanho do sucesso mundial mundial quando eu cantei com ele no especial da Globo e vi vários ídolos nacionais o prestigiando. E depois morando em Nova Iorque, quando falo que sou filha de João Gilberto, as pessoas ficam chocadas. Então isso me faz ter certeza o quão adorado ele é mundialmente.

Infância no México

WC: Você nasceu nos Estados Unidos, mas se mudou pro México com seus pais quando tinha apenas 3 anos. Você já voltou ao México, na casa ou bairro onde vocês moraram?
BEBEL GILBERTO: A casa não, mas eu reencontrei uma das minhas professoras daquela época. Ela foi a um dos meus shows na cidade do México e mantemos contato até hoje. Tenho uma conexão muito forte com o México até hoje. É um lugar muito bacana e que mexe comigo. Foi muito bom o que eu passei lá com os meus pais.

Juventude no Brasil e amizade com Cazuza

WAVE: Você passou boa parte da sua adolêscencia no Brasil e foi nessa época que conheceu Cazuza. Falando em Cazuza, sei que você deve ter várias lembranças inesquecíveis dele. Tem alguma comida, cheiro ou lugar que te faz lembrar dele até hoje?
BEBEL GILBERTO: Sim. Duas coisas me fazem lembrar bastante dele: camarão com chuchu. Ele adorava e sempre tinha na casa dele e era um dos seus pratos favoritos. E praia também me faz pensar nele. Ele amava estar na praia.

WC: Eu assisti uma reportagem sua onde você disse: “Sou intensa, animada, mas nunca fui da virada/noitada. Criaram um mito em cima de mim.” – isso é verdade?
BEBEL GILBERTO: Correto. Nunca fui de passar noites fora de casa. Nós eramos intensos sim, mas eu não vivia com uma garrafa na mão ou em baladas noite a fora como foi mostrado no filme. Fiquei muito chateada de ter sido retratada daquela forma, mas em compensação, gostei bastante da atuação da atriz Leandra Leal no filme.

WAVE: Você compôs várias músicas com Cazuza, incluindo “Eu Preciso Dizer que te Amo“, “Amigos de Bar“, “Mais Feliz” e “Mulher sem Razão“. Qual a sua música preferida em parceria com ele?
BEBEL GILBERTO: Sem sombra de dúvidas “Eu Preciso Dizer que te Amo”, mas gosto muito da “Mais Feliz” também. Talvez porque tenha sido a primeira de todas.

WAVE: Você teve uma importante participação na criação do espaço cultural Circo Voador correto?
BEBEL GILBERTO: Sim. Foi na época que eu estava estudando teatro, foi quando conheci Cazuza inclusive. Participei da criação desse espaço que inicialmente era para artistas de teatro e circo.

Chegada aos Estados Unidos

WAVE: Pouco após a morte de Cazuza, você se mudou para Nova Iorque, onde mora até hoje. Como você define essa cidade em uma palavra?
BEBEL GILBERTO: Diversidade. Uma cidade onde você vê culturas de todo o mundo. O amor pela arte e cultura e a sensação de liberdade também. Gosto muito do estilo de vida daqui e me inspira muito como artista também.

WAVE: Você chegou a tocar no antigo World Trade Center. Como foi essa experiência?
BEBEL GILBERTO: Foi muito bacana. Cantei por 2 anos no Greatest Bar on Earth, que ficava no topo de uma das torres gêmeas. Foi uma experiência única onde tive a oportunidade de conhecer vários artistas de nome.

WAVE: Já pensou em morar em outra cidade?
BEBEL GILBERTO: Cheguei a morar 7 anos na cidade de Londres quando namorei um francês-vietnamita. Então, eu moraria em Londres com certeza.

Processo de composição

WAVE: Sempre gostou de escrever?
BEBEL GILBERTO: Na verdade eu sempre gostei de fazer melodias, de cantar, de inventar músicas. Até mesmo sem saber tocar um instrumento. eu gosto de criar melodias. E elas servem como base para os próximos passos desse processo de composição. Portanto, eu dou mais asas às minhas melodias do que às minhas letras.

Novo album “AGORA” – (concorreu ao Grammy)

WAVE: Por que você decidiu nomear o seu último disco de “Agora”?
BEBEL GILBERTO: Porque eu usava muito a palavra agora em várias canções. Um dia o produtor do disco me perguntou o significado da palavra. Daí, decidi usar essa palavra como título do album. E também caiu muito bem com a situação que eu vivia e vivo.

WAVE: O que o público pode esperar desse show?
BEBEL GILBERTO: Esse show acabou não sendo somente o lançamento do disco Agora. Eu canto canções mais conhecidas também. E também apresento canções do meu novo projeto, que é uma homenagem ao meu pai. Tá um show muito bonito e tenho certeza que as pessoas irāo gostar bastante.

Projetos futuros

WAVE: Tem algum projeto futuro que você queira comentar?
BEBEL GILBERTO: Estou gravando um disco em homenagem ao meu pai. Provavelmente será chamado de “Joāo”. Estamos em processo de seleçāo das músicas no momento.

WAVE: Que conselho a Bebel de agora daria para Bebel lá do início da carreira?
BEBEL GILBERTO: Eu diria começar tudo de novo com mais calma. As vezes a calma é muito importante. Precisamos parar mais para respirar e aproveitar o momento.

WAVE: Um recado para os seus fās daqui de Toronto e Montreal?
BEBEL GILBERTO: Venham ver o meu show. Aproveitem a vida e nāo deixem de ouvir “Agora”. E é claro, o meu novo disco que será lançado em breve também.

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.