Conheça os murais da Colúmbia Britânica (BC)

Que tal conhecer a província de Columbia Britanica (BC) por meio das artes expostas nas paredes das cidades? Seja no inverno ou no verão, é um programa imperdível!

0
158

Uma das melhores formas de conhecer um lugar é andando a pé pela cidade, observando as construções e as manifestações artísticas, experimentando as comidas de rua e convivendo com os habitantes locais. A arte mostra muito do lugar, suas influências e história. Por isso, usar a arte como fio condutor para conhecer a Colúmbia Britânica (BC) é uma excelente forma de ir para localidades menos exploradas por brasileiros, porém ricas em belezas e cultura. Diversas cidades da província contam com mapas virtuais em que é possível conhecer mais a fundo os murais locais e artistas por trás deles. Depois, vale gastar as solas dos sapatos apreciando de perto cada criação e fazer uma verdadeira imersão nessas comunidades.

A imagem deste mural ao ar livre tem traz tons apastelados. Contudo, a linha preta que delineia cada um dos 12 personagens ali presentes, dá contraste e força à pintura iluminada por uma luz solar natural. Diferentes cores e tons estão presentes:  azul, violeta, bege, marrom, cor de pele e cinza, entre outros. A cena se passa na rua, em um pedaço de calçada e traz 7 homens, 1 idoso, 1 mulher e 3 crianças.   Os homens usam chapeus e cada um, roupa de apenas uma cor (azul, cinza ou bege). A mulher traz os cabelos arrumados em coque na nuca e veste verde. As 3 crianças vestem  violeta, azul claro e verde claro. À direita da foto, a jovem mulher dá atenção a uma  criança e um menino mais velho segura outro meno. Na parte esquerda, um vendedor passa pelo grupo carregando dois grandes cestos de palha em balancim. Esses personagens periféricos estão em movimento na obra.  Contudo, no centro, a cena é estática. Os persongens estão parados e dirigem o olhar para quem contempla o mural. Bem no centro e com roupas azul em tons de azul escuro, um jovem rapaz esguio e vigoroso traz os braços para trás, posando para o pintor. No centro à esquerda, um idoso, também de pé e com roupas acinzentadas, carrega uma trouxa de roupas. No centro à direita, sentando em cima de uma trouxa jogada na calçada, um  jovem olha  para baixo, desanimado  e perdido em seus próprios pesamentos.
Chemainus Canada, maio de 2017: as memórias murais de um menino chinês pintado em 1983 por cheng shu ren são um dos mais de 40 murais da cidade quimainus atraindo visitantes do canadá da ilha de Vancouver. (Foto: ID 212356943
 © Reinhardt | Dreamstime.com)

Referência mundial

A pequena Chemainus, na ilha de Vancouver, é lembrada por sua grande galeria de murais ao ar livre. São 44 obras de arte desse tipo na cidade que, apesar do pouco tamanho – cerca de 4 mil habitantes –, fincou seu lugar no mapa pelo projeto que incentivou essas pinturas no local, ganhando reconhecimento mundial. As artes contam a história e a cultura da região e também dos artistas que as fizeram, como a obra Memories Of A Chinese Boy (Memória de um menino chinês, em tradução para o português), de Arthur Cheng, renomado artista de Vancouver nascido em Nanchang, na China.

O projeto nasceu nos anos 1980, após uma crise que afetou a economia local. Com investimento de diversas empresas e entidades, foi lançado o Festival de Murais de Chemainus, que incentivou e financiou a pintura de diversas obras. A iniciativa acabou atraindo novos negócios e visitantes para a cidade, o que fortaleceu a economia de lá. Em vez de se tornar uma cidade fantasma, a comunidade renasceu como um ponto turístico e de valorização de artes de todos os tipos.

Mosaicos comemorativos

Pelos 150 anos do Canadá, em 2017, foram instalados mosaicos em 150 municípios por todo o país. Em BC, são 18 murais celebrando a data, nas cidades de: New Westminster, Prince George, Campbell River, Penticton, Abbotsford, Parksville, Victoria, Fort St. John, Summerland, Chilliwack, Revelstoke, Langley, Oliver, Port Coquitlam, Kelowna, Pitt Meadows, Port Moody e Surrey.

Os mosaicos ficam dentro ou fora de prédios públicos de cada cidade e podem ser vistos gratuitamente. Cada um deles é formado por pequenos azulejos pintados individualmente por crianças – em projetos realizados nas escolas – e por outros moradores locais que, com as tintas disponibilizadas por organizadores do projeto, podiam fazer a arte que quisessem. Juntas, essas peças formam um grande desenho de algo que representa aquela localidade. No caso de Prince George, por exemplo, a obra fica no CN Centre e todos os pequenos azulejos pintados formam um alce e um grande Mr. PG Man, o símbolo mascote da cidade.

Mural em Prince George, apresentando o Mr. PG Man, símbolo mascote da cidade (Foto: divulgação Prince George)

Algumas outras experiências possíveis

Em Prince George é possível também fazer um tour por outros murais locais com o uso de um mapa virtual (veja link deste e de outros mapas virtuais no final deste post: Para saber mais). Só no centro da cidade são 22 obras espalhadas pelas paredes e muros. Além de PG, outras cidades contam com obras de rua icônicas a serem apreciadas e formas organizadas de fazer isso. Kelowna também conta com um mapa virtual em que é possível ver a localização dos murais da cidade, para um tour auto-guiado. No site, basta clicar nos números no mapa para ter uma pequena descrição da arte e o nome do artista que a pintou. No número 44, por exemplo, fica The Kelowna History Mural, de Eric Blais, que apresenta parte da história de Kelowna nas quatro estações do ano.

A arte Harvest, de Leslie Waddington, está descrita no número 2 do mapa no site de turismo da cidade de Chilliwack, outra comunidade que conta com um tour virtual pelos murais locais. Ela mostra as belezas da cidade e a história dos primeiros povos da região. Assim como nos demais municípios, pelo website é possível ver a localização e descrição de cada obra. Victoria, a capital da província, conta com uma vizinhança destinada a artes do tipo, a Burnside Gorge. A iniciativa chama-se Concrete Canvas e conta com murais de diversos artistas locais e de fora da cidade, como Calvin Coles, que pintou uma das maiores obras da cidade, em que representou pássaros.

Esses são apenas alguns exemplos de localidades em que é possível apreciar obras de arte de rua e, assim, também viver um pouco da vida local.

Para saber mais: