Coqueiros doidos – foto poesia para começar bem a semana

Todos os domingos, você encontra aqui uma nova foto poesia para inspirar a sua semana. Roberto Solano dá asas à imaginação e transforma fotos significativas em pura poesia, buscando como ele mesmo diz, "o riso leve, a leitura breve, o prazer do escrito, se possível nas estrelas". Aproveite!

17
189
A imgagem da foto poesia Coqueiros doidos traz o cenário de uma praia tropica. Em primeiro plano, o mar manso e alaranjado, quebra em ondas suaves, formando uma renda delicadas com a branca espuma. O sol está se pondo e a silhuetas do coqueiral bem próximo ao mar, tem brilho e intensidade.
Foto poesia Coqueiros doidos. Texto e voz: Roberto Solano. Foto: Eduardo Fechine Borges

Coqueiros doidos – texto e voz de Roberto Solano

Coqueiros doidos

Nem Joaquim Cardoso
Com seus coqueiros doidos
Nem Dorival Caymmi
Com seu “doce morrer no mar”
Nem o melhor dos poetas mortais
Nenhum deles dirá do desejo andante
Aquele de correr para o mar 
Há coqueiros que dão côco
Outros sonoros são
Os da Praia dos Carneiros
Gigantes na alegria de ver o mar
Caminham, silenciosamente, para mergulhar

Sobre o autor:
Meu nome de batismo é Roberto Solano Carneiro de Novaes, nascido e criado no Rio de Janeiro, filho de um casal Pernambucano que migrou para o sudeste. Já o meu nome no colégio era, simplesmente, Solano, lá no magnífico colégio de São Bento, onde a minha personalidade foi moldada pela disciplina e pelos estudos.

Nunca fui um bom aluno, preferia o futebol e os amigos, fiz a minha educação emocional nesse terreno fértil dos beneditinos. Lá eu tive um professor de português que me abriu para o mundo das letras. Com um pé na criação, no imaginário, me fez crescer flutuando nas possibilidades infinitas até eu ler João Guimarães Rosa, onde eu descobri a perfeição. Depois, me veio a poesia. Pelas mãos de um tio distante (Manuel Bandeira) e esbarrando no Carlos Pena Filho, fui achando meu cantinho literário.

Hoje, já aposentado da engenharia, me divirto criando personagens e escrevendo sobre outros que, afortunadamente, esbarrei na vida real. O que procuro é a emoção no mais simples possível: o riso leve, a leitura breve, o prazer do escrito, se possível nas estrelas.

Gostou? Deixe abaixo — final da página — o seu comentário para o autor, Roberto Solano. E não esqueça de “curtir” e “compartilhar” com amigos.

Brazilian Wave. Aqui você sempre encontra uma novidade.

Você leu/escutou Coqueiros doidos foto poesia para começar bem a semana.
Te esperamos na próxima!

Leia/escute outras foto poesias de Roberto Solano

17 COMENTÁRIOS

  1. Sensacional 👏👏👏👏
    Adorei o novo formato com podcast abaixo da foto e depois a poesia.

Comments are closed.