Detetive policial Fabiano Mendes – Polícia de Hamilton

DILPOMADO EM DIREITO E MEMBRO DA POLÍCIA CIVIL DO RIO DE JANEIRO JUNTA-SE À FORÇA POLICIAL DE HAMILTON

0
130

Por Rosemary Baptista

Detetive policial Fabiano Mendes. Polícia de Hamilton.

O que motivaria um diplomado em Direito e membro da Polícia Civil do Rio de Janeiro a imigrar para Hamilton, Ontário, Canadá? A segurança de sua esposa e filho foi o grande incentivo para essa mudança e há 10 anos, o Detetive Policial Fabiano Mendes é membro do Departamento de Polícia de Hamilton.

O Detetive Policial Fabiano Mendes conheceu sua esposa em 1999, enquanto ela visitava uma amiga no Brasil. A canadense não esperava encontrar seu príncipe encantado no Brasil. O namoro se transformou em um lindo casamento. Fabiano e sua esposa, Heather, se estabeleceram no estado do Rio de Janeiro onde ele trabalhava como policial. Ela tentou viver no Rio por dois anos e meio, mas depois do nascimento do primeiro filho, eles decidiram que era hora de voltar ao Canadá, onde poderiam oferecer à família uma melhor qualidade de vida, segurança e proteção.

A vida dos policiais no Rio de Janeiro é muitas vezes extremamente perigosa. Quando eles são identificados como policial, se tornam alvos e são assassinados. “Infelizmente, eu tive amigos e colegas que foram assassinados pelo simples fato de serem policiais. Depois que nosso filho nasceu, nós decidimos que estava na hora de mudarmos para o Canadá. Foi a melhor coisa que fizemos para a nossa família”.

Fabiano sabia que queria ser policial desde que era um garotinho. Ele sempre foi apaixonado pela luta contra o crime, protegendo os cidadãos que ele serve. Como policial em Hamilton, jurou obedecer a Constituição do Canadá, preservar a paz, prevenir crimes e exercer as suas funções com imparcialidade. Sua paixão e vocação são para ajudar os outros, fazer a diferença na vida de alguém e criar um mundo mais seguro e pacífico para todos.

“Eu sempre quis ser policial no Brasil desde muito jovem. Minha mãe diz que eu sempre queria andar em todos os carros de polícia que eu via quando garoto. Um pouco antes de me formar em Direito no Brasil, eu passei no concurso para a Polícia Civil do Rio de Janeiro. Quando eu terminei a faculdade, eu fui direto para a Academia de Polícia.”

Como policial civil no Rio de Janeiro, Fabiano conduziu investigações envolvendo homicídios, roubos, violência doméstica, fraudes etc. Fez de tudo um pouco. Foi um trabalho difícil, mas gratificante, apesar de todas as dificuldades que um policial brasileiro enfrenta. Fabiano acha que é preciso ter muita coragem e nobreza para ser policial no Brasil. Pois infelizmente não há apoio da sociedade e os policiais não dispõem dos recursos, equipamentos e ferramentas necessários para realizar seu trabalho com dignidade e segurança.

O trabalho duro, disciplina e a ambição de Fabiano geraram muitas recompensas. Em seus dez anos como policial em Hamilton ele teve a chance de trabalhar em várias áreas como no patrulhamento de rua, Divisão Marítima, Perícia, Unidade de Ordem Pública/Busca e resgate e mais recentemente ele recebeu a oportunidade de trabalhar como Detetive na Divisão de Investigações Criminais. Além disso, ele trabalha como voluntário na Guarda de Honra da Polícia de Hamilton.

Quando perguntado como foi o processo de recrutamento na Polícia de Hamilton, Fabiano responde que mesmo tendo prévia experiência como policial, teve que seguir o processo de recrutamento da Polícia de Hamilton, que consiste em várias entrevistas, testes físicos e psicológicos além de uma rigorosa investigação social. Depois que foi contratado, ele passou três meses na Academia de Polícia de Ontário, em tempo integral para o treinamento inicial.

“Eu fiquei 3 meses na Academia de Polícia no meio do inverno canadense, longe da minha esposa e filhos. Meus dias começavam às 5 horas da manhã com temperaturas de 30 graus negativos (alguns dias). Muito diferente do clima Carioca.”

“O policiamento no Canadá difere do policiamento no Brasil em vários aspectos já que todas as ocorrências são tratadas com a maior importância. Assim como visto nos filmes de TV, no Canadá temos todos os recursos para conduzir as investigações. Isso é fantástico! Infelizmente, não é o que acontece no Brasil.”

ROTINA NA POLÍCIA

Atualmente na Divisão de Investigações Criminais, Fabiano trabalha de terno e gravata! Mas não foi sempre assim. A rotina de um policial de rua começa com um briefing com seus supervisores sobre ocorrências na cidade e o que precisa ser feito. Um carro da polícia é designado para o policial e ele se torna o seu escritório, pois está equipado com todos os equipamentos necessários para o seu trabalho.

As habilidades em vários idiomas do Detetive Mendes são ativos adicionais para servir melhor a Polícia de Hamilton e as diversas comunidades étnicas da cidade. Ele é fluente em inglês, português, espanhol e atualmente está fazendo aulas de Francês. “A possibilidade de falar outros idiomas o ajuda a interagir melhor com essas comunidades”.

Como um novo canadense e imigrante, Fabiano consegue se conectar com as diversas comunidades étnicas em Hamilton e diz que isso é uma das partes mais gratificantes de seu trabalho. Com confiança ele enfrenta o desafio de romper as barreiras que são formadas com base nos vieses de experiências negativas que os membros das comunidades tiveram com a polícia em seus próprios países de origem.

Quando perguntado sobre as diferenças entre o policiamento no Brasil e no Canadá, Fabiano respondeu que “embora os crimes sejam os mesmos, o modo como eles são tratados é diferente. O nível de violência no Brasil é muito diferente. No Canadá, temos as ferramentas adequadas, os recursos adequados e o apoio da comunidade para as vítimas. Nossa força policial construiu e conquistou a confiança de nossa comunidade e vítimas. A maioria das pessoas no Canadá respeita e confia na polícia. Os Canadenses veem policiais como amigos com quem podem contar. Infelizmente, há muita corrupção no Brasil. Os policiais brasileiros tentam fazer o melhor com as ferramentas que possuem. Mais de 100 policiais são assassinados todos os anos só no Estado do Rio de Janeiro. Temos que aplaudir aqueles que querem e trabalham como policiais no Brasil.”

“O Rio de Janeiro é uma cidade muito vibrante. Eu espero que o novo governo no Brasil consiga resolver a crise econômica, as questões sociais e investir na segurança pública e no policiamento. O Brasil precisa proteger suas fronteiras do tráfico de drogas e armas. São problemas sérios que são ignorados e negligenciados.”

Vida de imigrante

Fabiano foi rápido para responder quando perguntado sobre sugestões para as pessoas que pensam em imigrar. “Se você sonha em deixar o Brasil, não é fácil deixar sua família, cultura e história para trás e começar do zero no Canadá. Mas é muito gratificante. Hamilton é uma cidade muito segura para se viver e criar seus filhos.

“Minha sugestão para quem está pensando em imigrar do Brasil para o Canadá é ser realista sobre suas expectativas, deve-se planejar e pesquisar bastante. Se você não tem apoio, pode ser muito difícil. Há um período de adaptação. Nós lamentamos a vida, a família e os amigos que deixamos para trás. Esta é uma grande decisão. Precisamos nos ajustar a uma nova cultura, idioma, patrimônio e costumes”.

Ao ser solicitado a descrever qual foi a coisa mais difícil que precisou se acostumar no Canadá, Fabiano respondeu em tom de brincadeira: “O clima, isso é óbvio. Temos que nos adaptar a tudo. É preciso ser receptivo e aceitar novas culturas. A beleza de se mudar para um novo país é a integração, a fusão de duas culturas, e essa é a beleza de ser um novo imigrante: Você deixa algumas coisas para trás e ganha outras.

Os canadenses são conhecidos e respeitados em todo o mundo por serem gentis e atenciosos com o próximo. Fazer amigos no Canadá é diferente de fazer amigos no Brasil, devido as normas sociais, cultura, etiqueta e limites. Para construir amizades leais e duradouras, precisamos aprender a ser tolerantes, respeitosos e aceitar nossas diferenças.

Para concluir, o Fabiano quis deixar essa mensagem: “Eu gostaria de deixar com seus leitores e todas as comunidades brasileiras ao redor do mundo um pedido de apoio aos policiais no Brasil. Eles estão fazendo um trabalho incrível com as poucas ferramentas que foram entregues a eles. Policiais são assassinados todos os dias no Brasil. Eles estão colocando suas vidas em risco todos os dias, com pouca remuneração e poucos recursos. Se você quer que o sistema funcione, você deve trabalhar em solidariedade, apoiando e respeitando um ao outro. Espero que o novo governo melhore o policiamento no Brasil e todas as condições para os policiais”.