Indícios de recuo dos incêndios florestais na Amazônia

Nota oficial do Governo do Brasil, recebida através do Consulado Geral do Brasil em Toronto, indica indica que houve recuo dos incêndios florestais na Amazônia, tendo como base o período entre 24 e 26 de agosto corrente.

0
112

Nota oficial do Governo Brasileiro indica que houve recuo dos incêndios florestais na Amazônia, tendo como base o período entre 24 e 26 de agosto corrente. Mapas e dados sobre o arrefecimento dos incêndios estão disponíveis no portal do Ministério da Defesa .

Providências do governo brasileiro para combate aos incêndios florestais na Amazônia 

Operação de Garantia da Lei e da Ordem Ambiental (GLOA) para ações de combate a incêndios e crimes ambientais – Decreto 9.985, de 23/8/2019.

Foto:© André Costa | Dreamstime.com

“De acordo com imagens de satélite do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) do Ministério da Defesa, houve redução das regiões atingidas por incêndios na Amazônia Legal, de sábado (24) para esta segunda-feira (26). Os pontos detectados pelo satélite do Sipam apontam as áreas mais críticas, sendo úteis para subsidiar as equipes de campo.

A Operação Verde Brasil chega ao terceiro dia das ações desencadeadas com o envolvimento de  cerca de 2,5 mil militares, o emprego de 15 aeronaves, entre aviões e helicópteros, 210 viaturas e  10 embarcações. A operação teve início a partir da decretação de emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem Ambiental (GLOA), na sexta-feira (23). Essa medida continua em vigor até 24 de setembro.

As ações dos militares das três Forças (Marinha, Exército e Aeronáutica) são coordenadas pelo Comando Militar da Amazônia e pelo Comando Militar do Norte. O primeiro, localizado em Manaus, engloba os estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Amapá e parte do
Maranhão. O Comando Militar do Norte, localizado em Belém, compreende os estados do Pará, Amapá, Maranhão e parte do Tocantins.

Paralelamente ao combate dos focos de incêndio, são treinados mais brigadistas e desenvolvidas ações repressivas, de prevenção e de conscientização.

A atuação das Forças Armadas ocorre em apoio às iniciativas dos governos estaduais já em andamento e para ações subsidiárias nas regiões de fronteira, terras indígenas e áreas da União. As ações contam com a integração de instituições e órgãos de Segurança Pública e Fiscalização, como Força Nacional, Corpo de Bombeiros Militares, equipes de prevenção e combate à incêndios do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Polícia Militar Ambiental, Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia  (CENSIPAM).

No fim da tarde desta segunda-feira (26), o presidente da República Jair Bolsonaro, conferiu as atividades desenvolvidas no Centro de Operações Conjuntas, na sede do Ministério da Defesa. Ele foi recebido  pelo responsável pela pasta, Fernando Azevedo, e estava acompanhado pelos ministros da Casa Civil, Onix Lorenzoni, da Justiça, Sergio Moro, das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, da secretaria de Governo, General Ramos, do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno. Também estiveram presentes os Comandantes das Forças Armas, Almirante Ilques Barbosa, da Marinha, General Edson Leal Pujol, do Exército, e Brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez, da Aeronáutica, além do porta-voz da Presidência da República, General Otávio Rêgo Barros.

Na saída do presidente, o ministro da Defesa ressaltou a resposta rápida da Operação Verde Brasil. “Estou orgulhoso do trabalho das Forças Armadas e interagências. É lógico que a situação não é simples, mas está sob controle e há arrefecimento nas regiões”.

A GLOA foi decretada para atender os nove estados da Amazônia Legal. Desse total, sete já tiveram a autorização da Presidência da República para serem atendidos com a medida.”