Move on .com

2
169
Crônica: Move on.com

            Em tempos tão complicados, relacionamentos afetivos podem ajudar, quando são positivos. Caso contrário é melhor seguir em frente…

            Há pouco tempo, coloquei um ponto final em mais uma tentativa. Mas, desta vez, meu coração não se decidiu por outro pretinho básico. O processo foi quase o mesmo: algumas noites sem sono, horas com os amigos ao telefone e distância da garrafa de vinho. Decisão sábia, para não se encarar um breve relacionamento como se fosse a sequência do filme Love Story.

            Mas como mulher não vive sem drama, tratei de espalhar o meu aos quatro ventos. E, como sempre, fiquei impressionada com a paciência dos amigos. Ainda não cheguei à conclusão se eles realmente se comovem ou escutam já sabendo que aquilo logo vai passar.  

            Apaixonar-se só parece fácil na nossa língua, mas não é. Em Inglês e Francês, por exemplo, caímos, sempre. A queda pode ser maior ou menor, mas estará lá, sempre.

            Caímos de amor, andamos sem os pés na terra, queremos que o tempo pare. Mas se o outro não caiu tanto quanto você…  Começam os problemas. E é exatamente aí, que devemos acionar o mecanismo de autopreservação e nos proteger, seja lá como for.

            Dicas não faltam. Aprender uma nova receita, descobrir uma série interessante ou ler aquele livro esquecido na estante. No meu caso aproveitei também para pintar as unhas de vermelho. Não sei se pela sede de sangue, ou pela novidade em si. E não nos esqueçamos da maravilhosa falta de apetite, que nos faz perder o peso adquirido com aquela pessoa em questão.

            Mulher apaixonada é tudo igual. Pergunte a qualquer uma que já sofreu uma paixão, e relaxe na poltrona pois o relato vai ser longo.

            O importante é perceber a maravilhosa benção de se estar apaixonada. Seja lá o preço que se pague, nada se compara a esse estado de graça.

            Dure o tempo que durar, guarde as boas lembranças – pois vai precisar delas para consolar a melhor amiga, quando ela porventura também “cair” – e aproveite para relembrar Chico Buarque (excelente companhia para momentos como esse) cantando todo amor um dia chega ao fim e pra frente é que se anda, em “Amigo é pra essas coisas”.

            O tempo passa, você esquece, e outra paixão surgirá no horizonte, fazendo você dizer: agora sim, agora é pra valer!

            Quem disse que não dá certo? Dá sim, só não dura para sempre!

2 COMENTÁRIOS

  1. Texto muito bom! Apenas uma correção: a música “Amigo é para essas coisas” é do Aldir Blanc em parceria com Sílvio da Silva.

Comments are closed.