Temporada de verão-outono: Churrasco Gaúcho

0
28
Como aproveitar os dias de sol? Que tal com um gostoso churraco gaúcho, ao ar livre?

Com o verão terminando e o outono chegando, é importante aproveitarmos ao máximo os dias de sol e os espaços ao ar livre. E são muitas as boas oportunidades. Só no mês de setembro, temos várias ocasiões importantes que valem uma comemoração.

No Canadá, o feriado de 6 de setembro fica por conta do Dia do Trabalhador. E no Brasil, no dia 7 de setembro, comemora-se a Independência do Brasil. E, diante de toda essa crise que estamos passando, vale também festejarmos esse momento da volta às aulas. Mais lá para frente, claro, o Thanksgiving.

Se você é brasileiro, ou amigo de brasileiro, e se a temperatura ajudar, que tal a idéia de um bom churrasco com a família e com os amigos? Todos vão gostar da sua alegria e amabilidade anfitriã. Mas, certamente, querem mesmo ser surpreendidos com a sua expertise de “assador(a)” de um verdadeiro “churrasco gaúcho”.

Não importa se você não é dos Pampas ou sequer esteve no Rio Grande do Sul, pois a alegria do “estar junto” é sempre o melhor tempero. Mas, para te dar uma mãozinha, compartilhamos aqui algumas dicas importantes para o preparo de um bom churrasco, extraídas do “Jornal Ibiá”, RS.

Na matéria “Churrasco gaúcho: um amor que atravessa gerações”, Mariell Gautério entrevista Martinho Poeta Figueiró, um homem simples que, ao longo de seus 79 anos, aperfeiçou-se na arte de “churrasquear”. Os seus amigos garantem, sem pestanejar, que Fiqueiró é um “assador dos bons” e, portanto, vale a pena aprendermos algo com ele.
Para temperar a carne, Figueiró pode usar o tradicional sal grosso, mas conta que prefere temperar com uma salmora. “Na minha casa eu faço salmora (…). Na salmora eu coloco sal grosso e água quente, que desmancha melhor. O certo é pegar um feixe de guanxuma grande e molhar na salmora e jogar na carne, uns 10 minutos antes de assar e depois, novamente, quando a carne já estiver um pouco assada”, fala.

Outra dica importante é a de que a faca tem que estar muito bem afiada, para deslizar sem prejudicar a carne. E Figueiró bem lembra que “junto com o churrasco costumo tomar um chimarrão ou uma cachacinha”. Além da bebida, ele enfatiza que um salsichão e uma linguicinha são aperitivos essenciais para acomodar os convidados antes da carne. Na tradição valorizada por este churrasqueiro de primeira, o churrasco une a família e os amigos, e é algo que não deseja parar de fazer.

“Eu aprendi a fazer churrasco com o meu pai, o meu avô, desde guri, com meus sete, oito anos, a gente carneava a ovelha e o vô tirava os rins e o coração e dava pra gente assar pra aprender, e a gente ficava lá na volta sempre”, conta.

Ele relembra que antigamente, fazia-se o churrasco de uma forma diferente, “assado em uma lareira grande, nos galpões, em pé em espeto de taquara, levando cerca de três horas para ficar pronto”.

Dicas de preparo para um bom churrasco

OS 5 DESAFIOS

1 – Escolha da carne
Etapa importante em um churrasco de sucesso, a escolha da carne deve ser cuidadosa. A preferência deve ser das carnes de coloração vermelho rosado e com gordura clara. Se o corte estiver vermelho escuro e com a gordura mais amarela pode ser de um animal velho. A costela é a parte mais apreciada pelos assadores. Outra parte apreciada é o vazio, devido ao seu sabor e maciez.

2 – Facas bem afiadas
O cuidado com as facas é essencial. Elas devem estar sempre afiadas e ter boa empunhadura para manusear. Para guardá-las, o importante é ter uma bainha de couro para proteger o fio.

3 – Fogo bem feito
Como dizem os gaúchos “quem assa churrasco é o fogo”. Isso porque um fogo fraco pode estragar o prato. A dica é que o carvão seja aceso com antecedência, para que este libere a fumaça inicial que deixa gosto e aroma ruim no churrasco.

A hora certa de colocar a carne é quando se formam as brasas e aparece uma camada de cinzas por cima delas. Depois, é só espalhar um pouco a brasa na churrasqueira e começar a assar. A distância entre as brasas e a carne também deve ser cuidada. Se o espeto estiver muito perto do fogo, a carne vai queimar e não vai assar muito bem o seu interior. Se estiver muito longe vai cozinhar, mas perder o gosto.

4 – Espetos e grelhas
Os espetos com cabos de madeira protegem o assador. Existem em formatos largos ou duplos e permitem que a carne seja posicionada de qualquer lado. Servem para carnes menores, costelas, medalhões e aperitivos.
Já as grelhas são indicadas para carnes maiores como picanha, maminha e contrafilé. Isso porque conserva o suco da carne e a deixa mais macia.

5 – Sal grosso
Esse é o preferido e, muitas vezes, o único tempero do churrasco gaúcho. Mas colocar o sal na carne crua pode deixá-la endurecida e seca. O indicado é levar a carne ao fogo e só depois que ela pegar cor deve-se passar o sal grosso ou a salmora. Após salgar, o certo é voltar com o corte ao fogo e tirar o sal quando estiver esbranquiçado.

Onde comprar a carne certa?

No Canadá, os cortes de carne são diferentes dos cortes brasileiros e muita gente tem dificuldade na hora da compra. No supermercado, em meio a tantas opções, fica sempre aquela dúvida: será que estou escolhendo a carne certa?

Mas, é possível, sim, encontrar cortes brasileiros em açougues e talhos portugueses. E o melhor, a compra geralmente pode ser feita em português, o que facilita muito aos brasileiros. Fica aqui esta dica para os recém-chegados.

Para quem mora em lugar que não tenha açougues ou talhos portugueses, apresentamos a seguir alguns exemplos comparativos dos cortes brasileiros e canadenses. A tradução foi obtida em um site brasileiro, especializado na área: charcutaria.org

acém (agulha) = chuck
alcatra = rump steak;
capa de contra filé = neck steak
chuleta = rib steak
contrafilé = striploin
coração de alcatra = baby beef
costela = rib
costela do dianteiro = rib roast
coxão duro = outside flat
coxão de dentro ou coxão mole = topside
cupim = hump steak
filé mignon = tenderloin
fraldinha = flank steak
lagarto = eye of round
maminha = rump skirt ou trip trip
miolo da paleta = shoulder hearh
músculo dianteiro = shin
músculo traseiro = shank
patinho = knuckle
paleta = shoulder clod
peito = brisket point end
picanha = sirloin cap ou rump cap;
ponta de contrafilé = cube roll ou rib eye
bife de vazio ou pacu = thin flank