O dia 10 de junho também é nosso!

Sem as atividades tradicionais externas, portugueses de todas as gerações celebram o dia de portugal com alegria e criatividade

0
77
Nota-se hoje, na comunidade portuguesa do Canadá, uma participação cada vez maior das novas gerações luso-canadiana.

Os portugueses têm um motivo muito especial para comemorar o Dia de Portugal no Canadá. Entre todos os imigrantes que formam a nação canadense, os portugueses têm uma longa e antiga história neste território que hoje leva o nome de Canadá. Uma estátua na capital da província de Terra Nova e Labrador, St. John, atesta a presença portuguesa no Canadá desde 1501. A estátua do navegador português Gaspar Corte-Real foi doada, em 1965, pela Organização Canadense das Pescas Portuguesa. Em Halifax, na Nova Escócia, o Museu Nacional da Imigração tem outros registros da presença portuguesa no Canadá. A região e o mar do Labrador, por exemplo, foram nomeados em homenagem ao explorador português João Fernandes Labrador. Ainda no Museu, podemos encontrar uma referência ao português Pedro da Silva, que foi o primeiro carteiro no Canadá.

Com tantos elos no passado, a comunidade portuguesa se tornou uma das mais atuantes colônias de imigrantes do Canadá. Em todo o país, são inúmeras as associações e muitos os órgãos de imprensa em português. Segundo as estatísticas canadenses de 2016, mais de meio milhão de portugueses e seus descendentes vivem hoje no Canadá. Ou seja, cerca de 2% da população do país.

Dança folclórica portuguesa. Foto Filipe Varela (Dreamstime.com)

Dos nacionais portugueses, a maioria é proveniente do arquipélago dos Açores, principalmente das ilhas de São Miguel e Terceira. A emigração de açorianos começou em 1953, quando da assinatura de acordos bilaterais entre Portugal e o Canadá. Os pioneiros, como são chamados os primeiros imigrantes portugueses, desembarcaram no porto de Halifax, na província de Nova Escócia. Hoje, eles estão em várias regiões do país. No entanto, a maior comunidade portuguesa dos Açores pode ser encontrada em Ontário. Para os imigrantes açorianos, Toronto é considerada, afetivamente, como a décima ilha dos Açores.

Nota-se hoje, na comunidade portuguesa do Canadá, uma participação cada vez maior das novas gerações luso-canadiana. No final do ano passado, por exemplo, uma tradicional associação foi conquistada por um grupo que ilustra esta mudança. Fundada há 63 anos, a First Portuguese Canadian Cultural Centre (FPCC) tem como presidente Carina Paradela, de 32 anos.

Vale também destacar a iniciativa do Consulado-Geral de Portugal em Toronto de prestigiar jovens artistas da comunidade portuguesa. Nos meses de fevereiro e março deste ano, a Galeria Almada Negreiros, localizada no Consulado, promoveu a exposição “Jovens Artistas da Comunidade Portuguesa”, com trabalhos dos artistas plásticos Carla Antunes e Daniel Ramalho. Na abertura da exposição, o cônsul-geral Rui Gomes declarou que a ideia é repetir este projeto com outros jovens talentos da comunidade portuguesa. O diplomata ainda citou o exemplo do Centro-Cultural Português de Mississauga (CCPM), que tem incentivado jovens artistas e divulgado seus trabalhos durante o festival multicultural Carassauga. O vice-presidente do CCPM, Jorge Mouselo, aproveitou para destacar a importância de apoiar estas novas gerações, em especial para não deixar morrer as tradições portuguesas.

No dia 10 de junho, portugueses do Canadá e de todo o mundo comemoram o Dia de Portugal. No ano passado, a comunidade lusitana promoveu atividades em dezenas de cidades canadenses. Em Toronto, milhares de pessoas participaram do já tradicional Dundas West Fest.

A data, 10 de junho, é uma referência ao dia apontado como da morte de Luís de Camões, considerada uma das maiores figuras da literatura portuguesa. O Dia de Portugal incorpora também uma homenagem às suas comunidades espalhadas por todo o mundo. Assim, desde 1978, o 10 de junho ficou, oficialmente, como o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Uma curiosidade na data é que, diferente de outros países, Portugal dedica o seu dia a um fato cultural, e não a um acontecimento de sua história política.

Este ano, no entanto, as comemorações seguirão um novo rito. Sem poder ocupar os espaços externos devido à pandemia do novo coronavírus, o Dia de Portugal será lembrado e comemorado indoors, tanto pelas inúmeras associações da comunidade portuguesa como pela sua representação diplomática.